Uma mulher, de 25 anos, registrou ocorrência por constrangimento ilegal após ser expulsa de um teatro em Campo Grande, pelo diretor da peça que assistia. O motivo seria por ela estar com a filha, um bebê, de 9 meses.

A mulher reafirmou que a criança não chorou em momento algum. Segundo o boletim de ocorrência registrado na sexta-feira (12), o caso aconteceu na noite de quinta-feira (11) na Rua 26 de Agosto.

Ao Jornal Midiamax, a mulher contou que o diretor da peça não quis lhe entregar os ingressos, tentando justificar que as cenas seriam gravadas e qualquer ruído do bebê poderia atrapalhar. “Com a ajuda de outras pessoas, conversamos e eles autorizaram a entrar. Combinamos de que caso a bebê chorasse eu sairia?”, explicou.

Segundo a mãe, ela ficou na última fileira. Próximo do início da peça a bebê quis chorar, ela ofertou a amamentação e então o diretor apareceu. “Ele disse:Lembra do nosso combinado?Vamos cumpri-lo”, lembrou a mulher. 

Uma amiga que estava junto respondeu a ele que se a bebê de fato chorasse elas sairiam. “Tirei ela do peito e ela ficou entretida com alguns brinquedos. Nisso ele [diretor] veio de novo e disse que ela estava atrapalhando e que eu teria que sair. Eu discordei porque ela não estava chorando. Ele então se sentou próximo e ficou encarando. Me sentia coagida e só por isso levantei”, detalhou. 

Ela ainda contou que falou em tom alto que estava sendo expulsa do teatro pelo diretor da peça por estar com a bebê. O homem a acompanhou até a porta e disse que não precisava da baixaria por que eles haviam combinado. 

Outras pessoas se juntaram no saguão para saber o que estava acontecendo e só depois ele lhe pediu desculpas. “Justificou o nervosismo por ser uma noite de estreia e me convidou a comparecer na noite seguinte, eu não aceitei as desculpas, nem o convite”, lamentou a mulher.