Sem Categoria

Brasileiras e marido de vereadora são mortos em cidade paraguaia da fronteira

Vítimas teriam sido mortas por estarem perto de marido de vereadora paraguaia, que também foi executado

Wendy Tonhati Publicado em 20/02/2015, às 19h11

None
fogo_frontier.jpg

Vítimas teriam sido mortas por estarem perto de marido de vereadora paraguaia, que também foi executado

Duas brasileiras foram assassinadas na tarde desta sexta-feira (20), no distrito paraguaio de Ypejhú, que faz fronteira com a cidade de Paranhos, a 477 quilômetros de Campo Grande. Mãe e filha foram identificadas como Sineia Benítez de 33 anos e Edi Da Silva, de 15 anos.

As informações foram apuradas pelo jornal ABC Color, do Paraguai. A suspeita é de que elas estavam próximo ao veículo de Gregorio Salinas López, de 37 anos, marido da vereadora paraguaia Elisa Lomaquis (ANR). Ele também foi executado dentro do carro onde estava.

Os assassinos seriam ligados ao clã do ex-prefeito de Ypejhú Vilmar “Neneco” Acosta Marques, suposto mandante da execução do jornalista correspondente do ABC Color, Pablo Medina e de uma informante dele, Antonia Almada, durante uma reportagem no dia 16 de outubro do ano passado.

Marido da Vereadora

Ainda conforme informações do ABC Color, Gregorio Salinas López teria estado na manhã desta sexta-feira em um hospital de Paranhos, onde deixou a mulher e o filho. Quando ele retornava, recebeu a ligação de uma pessoa que marcou um encontro na linha de fronteira, entre Ypejhú e Paranhos.

Na fronteira, ele foi interceptado por um grupo de homens que estava em uma caminhonete. Os assassinos dispararam vários tiros contra o carro em que estava o marido da vereadora. Ele morreu no local.  

Ypejhú é um distrito localizado a 337 quilômetros de Assunção, capital do Paraguai. É considera um ponto importância para o narcotráfico. 

Jornal Midiamax