A Justiça liberou R$ 36 mil – apreendidos em dólares e euros – para o filho de Cesare Battisti. O italiano tentou sair com 1,3 mil euros e 6 mil dólares não declarados no Brasil e a quantia acabou apreendida em Mato Grosso do Sul.

O despacho que libera os valores foi assinado em 16 de janeiro pelo juiz federal Bruno Teixeira. Convertidos, o dinheiro apreendido passa de R$ 36 mil. A quantia será depositada em conta da da representante legal do filho de Cesare, que ainda é menor de idade.

Em 2017, Cesare tentava atravessar a fronteira de com a Bolívia. Contudo, foi impedido após fiscalização policial.

Prisão perpétua

Em dezembro de 2023, o italiano teve a pena extinta no Brasil após despacho publicado pela Justiça. Battisti foi condenado à prisão perpétua na , Battisti foi sentenciado pelo assassinato de quatro pessoas, na década de 1970, quando integrava o grupo PAC (Proletários Armados pelo Comunismo), um braço das Brigadas Vermelhas.

No Brasil desde 2004, o italiano foi preso três anos depois. O governo da Itália pediu sua extradição, aceita pelo STF. Contudo, no último dia de seu mandato, em dezembro de 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que Battisti deveria ficar no Brasil e o ato foi confirmado pela Suprema Corte.

Nos últimos dias do governo Michel Temer, houve a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) para extradição de Battisti. Após dias de buscas, a divulgou 20 simulações sobre a possível aparência do italiano.