O manteve o repasse de R$ 1,5 milhão anual para a (Unidade de Pronto Atendimento) Santa Mônica, em Campo Grande. O valor é confirmado pela portaria divulgada na edição do DOU (Diário Oficial da União) desta terça-feira (17).

A manutenção dos recursos consta no DOU (Diário Oficial da União) desta segunda-feira (16). As unidades fazem parte do Bloco de Manutenção das Ações e Serviços Públicos de Saúde – Grupo de Atenção Especializada.

A unidade é MAC (Média e Alta Complexidade). A ministra Nísia Trindade Lima assina a portaria.

Na segunda-feira (16), outras unidades de pronto atendimento de Campo Grande receberam a confirmação dos repasses. Foram mais de R$ 9 milhões para as UPAs da Capital sul-mato-grossense.

Atenção especializada

As unidades integram o grupo de atenção especializada do SUS (Sistema Único de Saúde), que é dividida em secundária e terciária. Ou seja, média e alta complexidade (ambulatorial e especializada hospitalar).

Segundo o Ministério da Saúde, a média complexidade é composta por serviços especializados encontrados em hospitais e ambulatórios. Assim, envolve atendimento de áreas como pediatria, ortopedia, cardiologia, oncologia, neurologia, psiquiatria, ginecologia e oftalmologia.

As UPAs são unidades de atenção especializadas, já que possuem complexidade intermediária. Além disso, a unidade também atende demandas do (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), com emergências clínicas, cirúrgicas e traumáticas.

Saiba Mais