Nesta terça-feira (5) foi publicada a demissão de Ricardo Wagner Lima do Nascimento e Douglas Novaes Vilas, então policiais penais e servidores da Agepen-MS (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul). Eles são acusados de crimes como corrupção e peculato.

A publicação foi feita no Diário Oficial do Estado. Ricardo e Douglas foram demitidos após decisão judicial no processo que investiga os crimes em que os ex-diretores do presídio de Corumbá estavam envolvido.

A demissão é assinada pelo diretor-presidente da Agepen, Rodrigo Rossi Maiorchini.

Facilitava a vida de presos

Após ações do (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) que prenderam o ex-diretor Ricardo Wagner e Douglas, membros do PCC (Primeiro Comando da Capital) confirmaram que os ex-servidores facilitavam a vida dos presos.

Em troca, recebiam da facção. As afirmações foram feitas em conversas entre os faccionados. Na prática, Ricardo e Douglas facilitavam a entrada de drogas nas unidades que dirigiam e em troca recebiam dinheiro do PCC.

Os acusados foram presos na Xadrez, que investigou crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, corrupção, peculato e falsidade documental, que aconteciam dentro das unidades.

Além dos diretores, também foram presos temporariamente, presos que cumpriam pena no regime semiaberto e fechado, comerciantes da cidade que possuem vínculo de parentesco com os condenados, que fazem parte da associação criminosa.

Saiba Mais