Crédito suplementar divulgado nesta quarta-feira (22) mostra que a Segov-MS (Secretaria de Estado de Governo de Mato Grosso do Sul), tem R$ 35 milhões para manutenção e operacionalização da pasta.

Na publicação assinada pela Sefaz-MS (Secretaria de Estado de Fazenda) há ainda outros valores para outras pastas, como, por exemplo, R$ 20 milhões para o Fundo Especial de Saúde, que deve usar o recurso para Atenção à Saúde de Forma Regionalizada.

Já a PGE (Procuradoria-Geral do Estado) tem R$ 5 milhões para controle de legalidade e gestão da dívida ativa. Este valor estava destinado à Gestão e operacionalização da PGE, mas foi removido dentro do próprio órgão.

Ainda segundo o decreto, a AGEMS (Agência de Regulação de Serviços Públicos) tem crédito de R$ 3,2 milhões para realizar a regulação e fiscalização dos Serviços Públicos Delegados.

O decreto é assinado pelo secretário de Fazenda, Luiz Renato Adler Ralho, e pelo governador Reinaldo Azambuja.