O MPF (Ministério Público Federal) instaurou inquérito civil para investigar servidores que recebem, mas que não prestam serviços como plantonistas na unidade de saúde da aldeia indígena Porto Lindo, localizada no município de Mundo Novo, a 462 quilômetros de Campo Grande.

Conforme portaria assinada por Paloma Alves Ramos, procuradora da República em substituição, foi enviada denúncia de que, em pese haja o custeio dos serviços de um plantonista para atendimento aos moradores da comunidade, tal serviço não está sendo prestado. 

Inicialmente, foi instaurado procedimento preparatório para averiguar os fatos e, diante dos indícios de irregularidades, o procedimento foi convertido em inquérito civil. O objetivo é apurar o suposto recebimento indevido de recursos públicos. A procuradora expediu ofício solicitando explicações às partes envolvidas e aguarda retorno.