Política / Transparência

Após 4 anos, Dourados recebe nota A e deixa lista de “Serasa” do Tesouro Nacional

Prefeito Alan Guedes destaca medidas adotadas nos primeiros meses da administração ponto fundamental na recuperação da credibilidade do município

Alan Guedes diz que uma das metas é o comprometimento com a folha de pagamento, que estava acima do prudencial
Alan Guedes diz que uma das metas é o comprometimento com a folha de pagamento, que estava acima do prudencial - Marcos Morandi

Dourados não está mais no “Serasa” do Tesouro Nacional. Listado desde 2018 com nota C pela Capag (Capacidade de Pagamento), o maior município do interior de Mato Grosso do Sul, em menos de quatro meses conseguiu subir para o conceito A. Com isso o município passa a ter mais credibilidade no mercado.

A análise da Capag leva em consideração os indicadores Endividamento, Poupança Corrente e Liquidez de cada município. Com base no princípio do estudo da receita e despesa corrente, a agência é responsável por avalizar a situação fiscal dos Estados e Municípios que pleiteiam contrair empréstimos com a garantia da União.

Em conversa com a reportagem do Midiamax, o prefeito Alan Guedes (PP) ressaltou a melhoria da classificação de Dourados no ranking da Capag como uma grande conquista e mostra que a administração está no caminho certo ao optar pelo equilíbrio financeiro.

 “Desde o primeiro dia da nossa gestão entendemos que para recolocar o nosso município nos trilhos, precisávamos recuperar a confiança dos investidores. Com nome limpo na praça, as coisas ficam mais fáceis”, ponderou o prefeito, ao lembrar que teve que apertar os cintos com redução de cargos e contingenciamento de despesas e também promoveu melhorias no fluxo de caixa do município.

Com base nesse diagnóstico, é possível mensurar se a realização de uma operação de crédito representa algum risco para os cofres públicos. Com a nota A, Dourados pode pedir o apoio da União para avalizar empréstimos para investimentos em áreas cruciais como: infraestrutura e modernização. Com esta nova avaliação, Dourados passa a integrar um seleto grupo de municípios brasileiros, cerca de 13% do total, com nota A.

“É claro que dá para agente avançar em alguns outros aspectos ainda, mas é importante destacar que essa nova classificação para nota A, permite que o município possa acessar outras fontes de receita, diferente do município que está com a Capag C, por exemplo”, observou Alan Guedes.

Alan Guedes ressalta que um dos principais pontos a serem melhorados de agora em diante é o comprometimento com pagamento da folha. “Dourados estava acima do limite prudencial, mas no início do ano com o corte de cargos comissionados, nós voltamos ao limite prudencial. Entretanto, nossa meta é gastar menos que 51,3% da receita com a folha de pagamento, o que dá mais confiança para investidores nacionais e estrangeiros”, acrescenta Alan.

Prefeitura figurava desde 2018 na lista de maus pagadores do Tesouro Nacional

Outro ponto prioritário, de acordo com o prefeito, é melhorar a prestação de contas ao tesouro. Nesse sentido, o secretário de Fazenda, Everson Leite Cordeiro, ressalta que além de resgatar a imagem de bom pagador junto ao Tesouro, a nota A também atrai investidores. “O empresário quando escolhe uma cidade para investir, uma das primeiras coisas que ele observa é a capacidade de pagamento do município”, informa.

“Quando falamos em finanças, não é somente dinheiro e capacidade de pagamento, mas também, a imagem junto aos investidores. Este é um passo muito importante para Dourados e vai nortear nosso crescimento nos próximos anos”, explica o secretário.

Já no entendimento do secretário de Governo e Gestão Estratégica, Henrique Sartori, o município agora passa a ser apto a receber transferências voluntárias de recursos da União. “Sem a nota A nós estávamos recebendo apenas os recursos obrigatórios do Governo Federal e das emendas. Agora, essa classificação abre um leque de novas oportunidades”, pontua Sartori.

Jornal Midiamax