Política / Transparência

Com salário de R$ 19 mil, servidor preso na Lama Asfáltica é aposentado pelo governo de MS

Servidor da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), Hélio Yudi Komiyama, foi aposentado nesta quarta-feira (22) pelo Governo do Estado, com proventos integrais e paridade.  Komiyama chegou a ser preso na Operação Fazendas de Lama, 2º fase da operação Lama Asfáltica, mas conseguiu responder o processo em liberdade.  Em publicação da Ageprev (Agência de […]

Renata Volpe Publicado em 22/07/2020, às 09h43 - Atualizado às 14h51

(Arquivo, Midiamax)
(Arquivo, Midiamax) - (Arquivo, Midiamax)

Servidor da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), Hélio Yudi Komiyama, foi aposentado nesta quarta-feira (22) pelo Governo do Estado, com proventos integrais e paridade. 

Komiyama chegou a ser preso na Operação Fazendas de Lama, 2º fase da operação Lama Asfáltica, mas conseguiu responder o processo em liberdade. 

Em publicação da Ageprev (Agência de Previdência Social), foi concedida aposentadoria voluntária por tempo de contribuição, com proventos integrais e paridade. Ele ocupava o cargo de Fiscal de Obras Públicas.

O salário recebido por Hélio em junho, conforme o Portal da Transparência é de R$ 19.545,92. Além disso, ele recebe R$ 2.803,40 de remunerações eventuais. Com os descontos, ele recebeu em junho R$ 15.273,54.

Lama Asfáltica

Komiyama foi diretor-executivo da Agesul e era quem atestava as medições feitas em obras executadas por empreiteiras em rodovias do Estado, durante a gestão do governador André Puccinelli. 

Em 2015, quando Reinaldo Azambuja (PSDB) assumiu o governo, Hélio foi exonerado do cargo diretor-geral e assessoramento da Agesul.

Porém, em 2017, foi escolhido pelo governo para ser um dos membros do grupo técnico designado para analisar projetos destinados a manutenção e conservação da rodovia MS-306.

A operação chamada de Fazendas de Lama, investigou lavagem de dinheiro pelo grupo acusado de desviar recursos públicos na gestão de Puccinelli, quando a Agesul era comandada por Edson Giroto.

Jornal Midiamax