Política / Transparência

Servidor que foi preso na Lama Asfáltica vai analisar projetos rodoviários

Governo diz que ele foi escolhido "devido à ampla experiência"

Midiamax Publicado em 06/07/2017, às 20h04

None

Governo diz que ele foi escolhido “devido à ampla experiência”

Hélio Yudi Komiyama, que chegou a ser preso na Operação Fazendas de Lama (um dos desdobramentos da operação Lama Asfáltica), foi escolhido pelo governo de Mato Grosso do Sul para ser um dos membros do grupo técnico designado para analisar projetos destinados a manutenção e conservação da rodovia MS-306. A decisão foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (6) e confirmada pela assessoria de imprensa do governo estadual.

Komiyama foi diretor-executivo da Agesul e era quem atestava as medições feitas em obras executadas por empreiteiras em rodovias do Estado.

Ele também foi considerado inelegível pelo Tribunal de Contas da União, em 2010. O nome dele consta em relação de 4.922 gestores públicos envolvidos em irregularidades no uso de verbas federais, justamente de uma rodovia, a BR-359. 

O servidor permanece lotado na Agesul. De acordo com a assessoria de imprensa do governo, ele foi designado membro do grupo técnico “devido à ampla experiência e conhecimento técnico na área de engenharia”.

Komiyama responde a uma sindicância administrativa do governo, ainda não concluída, para apuração das denúncias. O governo do estado ressaltou que atualmente o servidor não ocupa nenhum cargo de direção ou chefia.

Jornal Midiamax