Política / Transparência

Em fase de testes e sem papel, ponto eletrônico da Câmara começa a valer nesta sexta

Os servidores da Câmara Municipal de Campo Grande começaram a registrar a presença no serviço pelo ponto eletrônico nesta sexta-feira (dia 26). Nos primeiros 30 dias, contudo, a fase é de testes, sem impressão de comprovante e a confirmação virá por meio de um aplicativo. Segundo a assessoria da Casa de Leis, praticamente todos os […]

Mayara Bueno Publicado em 26/07/2019, às 09h48 - Atualizado às 15h36

Servidor registra ponto eletrônico na Câmara, nesta sexta-feira. (Foto: Do leitor, via whatsapp).
Servidor registra ponto eletrônico na Câmara, nesta sexta-feira. (Foto: Do leitor, via whatsapp). - Servidor registra ponto eletrônico na Câmara, nesta sexta-feira. (Foto: Do leitor, via whatsapp).

Os servidores da Câmara Municipal de Campo Grande começaram a registrar a presença no serviço pelo ponto eletrônico nesta sexta-feira (dia 26). Nos primeiros 30 dias, contudo, a fase é de testes, sem impressão de comprovante e a confirmação virá por meio de um aplicativo.

Segundo a assessoria da Casa de Leis, praticamente todos os 680 servidores, inclusive os ligados diretamente aos vereadores, terão de bater o ponto eletrônico. Ficam de fora funcionários que exerçam atividades fora do prédio, por exemplo, e os 29 parlamentares.

O presidente da Câmara de Campo Grande, vereador João Rocha (PSDB), afirmou que, no início, o período será de adaptação e, por enquanto, terá somente um equipamento disponível – que fica ao lado da recepção, na entrada do prédio.

Em agosto, o funcionário vai poder acompanhar os horários de trabalho por um aplicativo no celular, que também está em teste. Não se sabe ainda se, no fim do período, um papel será impresso, nos moldes do que é aplicado em empresas, ou se o dispositivo nos celulares será adotado definitivamente.

“É um momento importante na esteira da transparência e regularidade”, disse o dirigente. A implantação do ponto eletrônico foi acordada com o MPE-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) e a previsão de instalação era agosto deste ano. Antes desta situação, o Legislativo municipal já havia firmado termo de ajustamento com o MP, prevendo a realização do concurso público e convocação dos aprovados até o fim de 2018.

A Assembleia Legislativa de MS passou pelo mesmo processo para instalação do ponto, que começou em fevereiro de 2017. No caso da Casa de Leis do Estado, a medida chegou depois de denúncias sobre funcionários fantasmas.

Jornal Midiamax