O ex-presidente Jair (PL) disse nesta quarta-feira (21) que a decisão de candidatura em para as eleições deste ano passam pela senadora Tereza Cristina (PP) e pelo deputado federal Marcos Pollon (PL). A entrevista foi concedida pelo ex-presidente à Rádio CBN de Recife.

Bolsonaro falava sobre a indicação de Gilson Machado a vice-prefeito de Recife, quando citou na lista de principais composições para indicações do PL pelo país.

“[…] Entre outros municípios, estamos acertando agora com a Tereza Cristina em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Não só a Tereza Cristina, é o deputado Pollon, que é o presidente de lá, entre outros parlamentares”, disse.

A entrevista citando a ex-ministra da Agricultura acontece menos de uma semana após Bolsonaro citar o deputado estadual João Henrique Catan (PL) como possível anunciado pela sigla para concorrer em Campo Grande.

A citação, no entanto, foi sentida por membros do próprio PL ouvidos pelo Jornal Midiamax como proposital para enfraquecer a possibilidade do partido lançar candidato próprio, por já ter um acordo com o PP, da prefeita Adriane Lopes, que tentará reeleição.

“É um deputado militante, mas que não tem votação expressiva. Foi o 12º de 24 parlamentares mais votados. Tem gente no PL com mais votos na última eleição e em outras. Tem gente de direita com mais votos”, aponta o correligionário, que prefere não se identificar devido ao momento delicado pelo qual o partido passa com ‘sucessivos anúncios'.

Catan foi o 12º deputado mais votado no Estado nas eleições de 2022, com 25.914 votos. Do mesmo partido, Coronel David teve 31.480 votos. Também da direita e citado por Bolsonaro, Capitão Contar (PRTB) concorreu como candidato ao Governo do Estado e teve 612.113 mil votos.

PP e Tereza Cristina

Uma aproximação do PL com o PP acontece há tempos em Campo Grande. O primeiro passo foi filiar a prefeita ao PP, em um projeto da senadora Tereza Cristina.

De direita conservadora, a prefeita se filiou ao partido de Tereza visando possibilitar a aliança com o PL em 2024. Isso porque, na sigla, muitos se colocam como dispostos a se lançarem como candidatos.

Neste mês, o suplente da senadora, Tenente Portela, foi içado ao cargo de presidente municipal do PL, com o anúncio feito pelo deputado federal Marcos Pollon.

Santullo na Prefeitura

Ao Jornal Midiamax, o presidente do diretório do PP em Mato Grosso do Sul, Marco Aurélio Santullo, informou que as discussões entre PL e PP são nacionais e, assim, interferem no Estado. “Não posso falar pelo PL e nem quero, de maneira alguma. Mas há uma aproximação, um acordo, do PP nacional com o PL e isso acaba refletindo em Campo Grande. Mas essa é uma conversa que a senadora e o Bolsonaro mantém com o Pollon, não passa por mim”, disse.

Santullo foi anunciado nos bastidores como novo secretário de Governo de Adriane Lopes e aguarda, há mais de uma semana, a nomeação. Questionado sobre quando deixará o cargo, o atual secretário diz apenas ainda não ter conversado com a senadora Tereza Cristina sobre seu retorno à Câmara.

Santullo, no entanto, se limitou a negar que sua ida à prefeitura esteja relacionada a outro fator que não seja a vontade da prefeita Adriane Lopes de que ele assuma o cargo.