A ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, foi recebida com danças e cobranças por mais demarcações na segunda visita a em menos de 15 dias. A chefe da pasta participa da Grande Aty Guasu nesta sexta-feira (24) em Caarapó.

Uma das lideranças Aty Guasu apresentou extensa com terras para serem demarcadas no Estado. “Está tudo muito lento em relação às demarcações. Sabemos que tem fuzil e balas de borracha esperando a gente”, reforçou.

Sônia foi recebida pelas lideranças indígenas de MS e com dança. Logo após, visitou a Casa de Rezas da comunidade.

Uma das lideranças de MS destacou a luta das mulheres indígenas. “Nós mulheres indígenas que lutamos, que choramos por nossos filhos e pelos nossos maridos, muitas vezes em silêncio. Nós sentimos as dores de todos eles e não podemos ter vergonha disso”, disse uma líder da Aty Guassu que preferiu não ser identificada.

O grupo realizou um minuto de silêncio em homenagem aos indígenas mortos em retomadas de terras no Estado. “Aqui em MS vale mais um pé de soja e um boi do que um índio vivo”, disse outra líder.

Agenda

A ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, deve retornar ao Estado para participar da Grande Assembleia Aty Guasu na sexta-feira (24). A ministra passou por Mato Grosso do Sul com a Caravana “Participa, Parente!” na última quarta-feira (15).

Desde esta terça-feira (21) até o domingo (26), a Caravana “Participa, Parente!” estará em Caarapó. Segundo o Ministério dos Povos Indígenas, cerca de 1 mil indígenas participarão da assembleia.

Esta será a oportunidade de expressar os posicionamentos em relação às políticas indigenistas. Além disso, eles votarão para eleger os representantes que vão compor o CNPI (Conselho Nacional de Política Indigenista).

Segundo o Ministério, o CNPI “desempenha um papel fundamental, propondo objetivos e princípios para políticas públicas destinadas aos povos indígenas, acompanhando a execução do Orçamento Geral da União, apoiando eventos organizados pelos povos indígenas e monitorando ameaças ou violações de direitos”.

Passagem por MS

Prefeitos de 15 cidades de Mato Grosso do Sul pediram a implantação de um novo Dsei (Distrito Sanitário Especial Indígena) no Estado. Eles participaram de encontro com a ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, na quarta-feira (15).

A ministra veio ao Estado na Comitiva ‘Participa Parentes', com autoridades da Funai (Fundação Nacional dos Povos Indígenas) e do Ministério da Saúde. Ela lembrou que os prefeitos presentes possuem população indígena nos municípios.

“A ideia é a gente aproximar essa relação para a gente pensar a implementação de políticas públicas dentro dos territórios indígenas”, destacou. O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Valdir Júnior, destacou três reivindicações dos prefeitos.