A ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, passou por Campo Grande na quarta-feira (15) para ouvir os prefeitos de 15 cidades de Mato Grosso do Sul. Durante a reunião, eles fizeram quatro pedidos à ministra.

A ministra veio ao Estado na Comitiva ‘Participa Parentes’, com autoridades da Funai (Fundação Nacional dos Povos Indígenas) e do Ministério da Saúde. Uma desinformação circula em MS e teria despertado expectativa de anúncio da efetivação de demarcação de terras indígenas no Estado.

Contudo, durante a agenda foi afirmado que a já declarada terra indígena, Cachoeirinha, é a área mais próxima de demarcação no Estado. Isso porque está em processo de demarcação física em Mato Grosso do Sul.

Pedidos

Assim, no encontro foram solicitados quatro medidas ao Ministério dos Povos Indígenas. Os prefeitos se reuniram com a ministra na sede da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul).

Ao todo, 15 municípios participaram da reunião. São eles: Antônio João, Bela Vista, Aquidauana, Amambai, Dourados, Dois Irmãos do Buriti, Guia Lopes da Laguna, Japorã, Miranda, Nioaque, Paranhos, Ponta Porã, Porto Murtinho, Sidrolândia e Tacuru.

Confira os pedidos:

  • Mais investimento para fornecimento de saneamento básico (principalmente água potável) aos indígenas;
  • Criação de mais uma unidade do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei-MS), tendo em vista que o Estado tem a terceira maior população indígena (em torno de 116 mil indígenas), visando atingir sua finalidade de organizar a rede de atenção básica dentro das áreas indígenas;
  • Mais investimentos nas unidades de Secretaria de Saúde Indígena – Sesai, a fim de garantir o direito dos povos indígenas, como diversos auxílios;
  • Participação mais ativa da Fundação Nacional dos Povos Indígenas – Funai, com os municípios, podendo ser intermediado pela entidade, a fim de viabilizar um diálogo e assegurar a implementação de políticas públicas em suas aldeias, notadamente na agricultura familiar.