Pautas voltadas à segurança pública e infraestrutura, foram os principais temas levantados pela população, para aplicação de recursos do PPA (Plano Plurianual) 2024-2027. Os encontros regionais para ouvir os moradores e lideranças políticas, passaram por Três Lagoas, Dourados, Bonito, Coxim, Corumbá e Naviraí, com encerramento em Campo Grande nesta sexta-feira (7).

Segundo os dados divulgados durante a discussão realizada na Câmara Municipal, os cidadãos solicitaram a intensificação de agentes de segurança, segurança de fronteira e tecnologia na segurança pública.

Na sequência, foi listada como a segunda principal necessidade, a infraestrutura, sendo 40% das reivindicações para asfaltos; 28% rodovia e 8% para estradas vicinais. Por último, a população pediu melhoria no ensino público, com educação em tempo integral, tecnologia na educação e segurança na educação.

A série de encontros contou com a participação de 884 pessoas nos municípios, enquanto em Campo Grande, foram 250 moradores. As entregas de sugestões foram realizadas via ofício e formulário, disponibilizado à população com 229 propostas, e 920 requerimentos encaminhados por meio do site.

Ao todo, 1.149 cidadãos mandaram sugestões de melhorias para o serviço público, contabilizando 1.362. Isso porque, é possível encaminhar mais de uma solicitação por usuário.

O vice-governador José Carlos Barbosa, o Barbosinha (PP), falou sobre a importância da participação da população, enfatizando a bandeira do governo municipalista. “Neste ano nós estamos no último ano do PPA do Reinaldo. Poderia ser construído pelos técnicos do governo. Nos poderíamos imaginar o que é importante, mas quando você vai nas regiões e ouve os prefeitos, as lideranças e o cidadão, você colhe na essência a manifestação das pessoas”, disse.

“Quando os moradores participam, ele pensa: se meu bairro não tem asfalto eu vou pedir asfalto, saneamento. As necessidades são diferentes. As demandas são infinitas. O que é prioridade para fronteira, pra Dourados, pra Campo Grande? Um PPA municipalista é o desejo do governador. Assim a gente erra menos”, avaliou.

O superintendente de orçamentos de Mato Grosso do Sul, Ricardo Veloso, comenta que o orçamento fixado em R$ 25 bilhões, irá atender todas as áreas, priorizando os serviços listas pelo público e ações de infraestrutura, como a Rota Bioceânica, que está em fase de implementação.

“Os municípios estão bem abrangentes. Estamos recebendo propostas de rodovias, construção de hospitais, de asfalto e pavimentação. Tudo que a população anseia para Mato Grosso do Sul. Temos aí um roteiro traçado para rota Bioceânica que vai ligar o estado a 4 países e permitir exportações e comunicação com exportações por meio do pacífico. Mas não podemos esquecer a segurança, saúde e educação, esse governo está inclinado a atuar de maneira mais efetivas nessa área. Mas o governo tem uma tônica a infraestrutura”, destacou.

O PPA é um instrumento de planejamento previsto na Constituição Federal de 1988, elaborado a cada 4 anos pelos estados e demais entes federados. A participação da sociedade poderá ser feita até o dia 31 de julho, neste link http://voceparticipa.ms.gov.br/.