O deputado estadual Rafael Tavares (PRTB) propôs nesta terça-feira (17), na (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), uma moção de repúdio ao grupo terrorista Hamas pelos ataques a Israel. A proposta foi criticada pelo deputado estadual (PT) por falta de relevância e efetividade.

“Se for aprovada, quem vai entregar lá na Faixa de Gaza?”, ironizou, em referência ao território que atualmente está em guerra. Isso porque geralmente após votadas, as moções de louvor e de repúdio são entregues, em papel impresso, aos destinatários pela Casa.

Segundo a proposta do deputado Tavares, os ataques terroristas indiscriminados realizados são atos de violência inaceitáveis que merecem a condenação unânime da comunidade internacional.

“Em outubro de 2023, o grupo terrorista Hamas cometeu um ataque bárbaro e cruel contra o Estado de Israel. Como não poderia deixar de ser, tal grupo ignorou todas as regras de direito humanitário e mirou em civis inocentes, fazendo centenas de milhares de vítimas, desde a cidadãos civis do mundo todo que estavam na região no momento do covarde ataque.

O ato de violência e covardia contra Israel é um ato sem precedentes e que acaba por afligir o mundo todo. Esses ataques e bombardeios, por si só, já são altamente condenáveis, porém quando se atinge propositadamente civis, a consternação e sentimento de revolta por tamanha injustiça cometida a um povo é manifesto.

Assim, esta casa de Leis, repudia o covarde ataque terrorista realizado pelo Hamas, bem como todos os atos de apoio ao grupo terrorista e ainda àqueles que se negam a aceitar o terrorismo perpetrado pelo Hamas”, informa a nota de repúdio a ser votada pelos deputados.

Saiba Mais