O prefeito de Jateí, Eraldo Jorge Leite (PSDB), pediu desfiliação da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul). O ato teria acontecido em 11 de janeiro, um dia após a reeleição de Valdir Júnior (PSDB), prefeito de Nioaque, para a presidência da entidade.

Leite tentava ainda no ano passado concorrer contra Valdir, mas o atual presidente formou chapa única. Assim, ele acabou pedindo a desfiliação de Jateí.

Pelo estatuto social da Assomasul, no caso do prefeito que solicitar o desligamento, o ato só será efetivado após a certificação da regularidade financeira pela tesouraria.

O tucano era o tesoureiro no mandato que vai até 30 de janeiro. Com a saída de Leite, Valdir nomeou o segundo tesoureiro, o prefeito de Jaraguari Edson Nogueira (PSDB), para concluir o período.

Ao Jornal Midiamax, Valdir Júnior declarou em nota neste domingo (22) que é uma perda a saída de Leite e de Jateí. Para o presidente, Leite sofreu uma derrota, mas voltará à entidade.

“Para a Assomasul é uma grande perda o desligamento de qualquer associado. Entendemos que a associação tem sua representatividade perante os órgãos públicos e a sociedade civil, pois sempre buscou os anseios da população que é o destinatário final das gestões municipais. Importante mencionar que a entidade sempre atuou de forma apartidária, isso se comprova pela votação unânime na eleição da Assomasul, contando com a presença de 85% dos associados. Infelizmente, o prefeito de Jateí sofreu uma derrota política, mas entendemos que a associação é maior que os gestores. Assim, acreditamos que em breve ele retornará a nossa casa”, diz o comunidade de Valdir.

A reportagem procurou Eraldo Jorge Leite, mas não obteve resposta. Os contatos foram devidamente registrados e o espaço segue aberto para posterior manifestação.