A licitação que dará a possibilidade de uma empresa administrar o Bioparque do — conhecido como Aquário do Pantanal — não tem data prevista. Nesta quinta-feira (14), o governador (PSDB) afirmou que “não tem uma data, não está previsto ainda” o lançamento do edital.

Ele explicou ao Jornal Midiamax que é uma modelagem que está sendo construída. “O BNDES tem sido parceiro do Estado na construção dessa modelagem, mas assim que a gente tiver um cronograma definido, aí nós vamos anunciar para a sociedade como um todo, o formato, como vai ser”, garantiu.

Até lá, o segue operando o Bioparque do Pantanal. Uma das certezas sobre a licitação e condições para que uma empresa administre o local é de que a gratuidade seja garantida aos estudantes.

“A gente não abre mão da gratuidade para os estudantes, é o acesso de toda rede escolar ao Bioparque, é o caráter educativo, científico também, em parceria com as universidades”, justificou. Para Riedel, a atração tem um ambiente inclusivo e faz “com que as diversas formas de pessoas que chegam lá com dificuldade de acesso e podem ter conhecimento”.

A inclusão destes grupos para gratuidade será prioridade, afirmou Riedel. “Esse é o canal que a gente vai adotar junto a essa nova modelagem”, disse o governador.

Bioparque Pantanal

Em um ano de funcionamento, o complexo foi visitado por mais de 300 mil pessoas, muitas delas de outros países, abriga inúmeras espécies de animais característicos de Mato Grosso do Sul e já faz parte da história de muitos moradores e turistas. Até agora, não há previsão para o início da cobrança de ingresso.

Localizada nos altos da avenida Afonso Pena, dentro do Parque das Nações Indígenas, a estrutura desenhada pelo arquiteto Ruy Ohtake se destaca na paisagem por sua exuberância e grandiosidade. Além de receber visitantes ao longo do dia, espaço serve para eventos, conferências e pesquisas científicas.

Vale lembrar que os primeiros visitantes do Bioparque foram os alunos das escolas e convidados. Assim, a abertura ao público geral ocorreu em 2 de maio de 2022. Segundo o espaço, mais de 300 mil pessoas já visitaram o complexo desde então.

Sem previsão de cobrança

Há mais de um ano em funcionamento, o Bioparque Pantanal ainda não é administrado por uma empresa contratada. Por ora, o Governo do Estado assume a gestão do espaço enquanto licitação não é lançada para administração do parque.

Empresa contratada através de um certame pelo ex-governador André Puccinelli, antes do Bioparque ficar pronto, a Cataratas desistiu de administrar o ponto turístico pouco antes da inauguração, em 2022. Foi quando o Governo de Mato Grosso do Sul assumiu a função temporariamente.

Apesar das tratativas realizadas, o Grupo Cataratas comunicou oficialmente a desistência amigável do processo de parceria. “O contrato no modelo de PPP permite um distrato amigável. Houve um posicionamento da empresa, reforçando que o Aquário do Pantanal é o maior aquário de água doce e apresenta condições extremamente adequadas sob o ponto de vista de atratividade como destino turístico. Porém, neste momento, houve um reposicionamento estratégico do Grupo Cataratas”, afirmou Verruck na época.