O TCE (Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul) apontou irregularidades na prestação de contas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Básica de . Assim, estabeleceu de R$ 4,2 mil para a ex-secretária de Educação.

O acórdão consta no Diário Oficial do TCE-MS desta quarta-feira (6), última publicada nesta semana. O conselheiro apontou a ausência de documentos, falta de transparência nas contas públicas e divergência de escrituração na prestação de contas.

As contas prestadas eram do exercício de 2020, quando Laura Andrea de Britto Acosta era titular da pasta de Educação. Então, determinou multa para a ex-secretária e recomendou que os atuais responsáveis “observem com mais rigor as normas aplicáveis à contabilidade pública”.