Os vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande aprovaram em regime de urgência alterações na eleição de diretores de Emeis (Escolas Municipais de Educação Infantil) e mais três propostas na sessão desta terça-feira (10).

Foram 23 votos favoráveis e um contrário ao projeto de lei 11.145/23, do Executivo Municipal, que altera a redação da ementa e de dispositivos da lei 6.023/18, que institui a Gestão Democrática e dispõe sobre eleição direta dos diretores e diretoras das unidades escolares e dos centros de educação infantil da Reme (Rede Municipal de Ensino). O voto contrário foi do vereador André Luis (Rede). O parlamentar pediu emenda para que só profissionais de carreira pudessem participar.

“Nós temos um déficit muito grande dos servidores na educação e em outros setores, no município de Campo Grande e também em outros municípios do Estado. Mas a única questão que propus era sobre ser servidor efetivo. Entendo que o sindicato tem que reconhecer que o professor convocado, que o administrativo, convocado, temporário, ele faz parte sim daquela comunidade”.

Presidente da ACP (Sindicato Campo-Grandense de Professores), Gilvano Kunzler Bronzoni defende que todos os servidores devem participar da votação. “Essa vai ser essa uma nova etapa da educação infantil em Campo Grande. Haverá algumas mudanças, a questão da lotação, as escolas, mas nós amadurecemos a lei para esse pleito da educação infantil”, disse.

Em segunda discussão e votação, foi aprovado o projeto de lei 11.042/23, que altera a denominação da Avenida Cruz de Lorena para Avenida Fernando Abdulahad Hildebrand, parcelamento Jardim Veraneio, Bairro Chácara dos Poderes. O projeto é de autoria dos vereadores Carlos Augusto Borges e Otávio Trad.

E ainda o projeto de lei 10.851/23, do vereador Dr. Loester, que institui a Política Municipal de Transparência na Gestão da Saúde Pública.

Já em primeira discussão e votação, foi aprovado o projeto de lei 10.211/21, que denomina “Professor Jonnas Domingos” a Escola Municipal que especifica, localizada na Vila Natália. A proposta é dos vereadores Ademir Santana e Carlos Augusto Borges, o Carlão.