Os deputados estaduais de aprovaram nesta terça-feira (3) em votação conjunta com outras moções e indicações uma moção de repúdio ao deputado federal Geraldo Resende (PSDB) por ter supostamente declarado que a população de ‘tem o dedo podre para votar’.

A moção foi apresentada pelo deputado estadual Neno Razuk (PL). Na justificativa, o deputado ainda cita a ofensa que Resende teria feito a ele. “A questão de cérebro podre, gente que usa drogas é que faz com que o cérebro fique podre”.

“As ofensas contra os deputados Neno Razuk, e extrapolaram o limite do debate político, se tornando injuriosas e caluniosas. Fato é que pessoas com problemas devido ao uso e abuso de drogas é uma questão de saúde pública, sendo inadmissível que um ex-secretário de saúde e médico utilize essa questão para apontar como possível qualidade ou falta de virtude de qualquer pessoa que seja”, traz a justificativa.

Discussão

A briga entre o deputado federal Geraldo Resende (PSDB) e Neno Razuk (PL) ganhou mais um capítulo nesta terça-feira (3), quando a tucana Lia Nogueira (PSDB) resolveu tomar partido de Neno. A desavença entre os parlamentares começou na semana passada, quando Razuk usou a tribuna para rebater supostas farpas do tucano, que teria declaro que o eleitor douradense tem ‘dedo podre para votar’.

Nesta semana, Neno afirmou que Geraledo também teria dito que ele seria usuário de drogas. “Eu não sou um drogado, mas o deputado precisa ter cuidado ao dizer, porque o uso das drogas é uma doença. Muitas famílias sofrem com isso. Já fumei maconha quando mais novo, não nego. Desafio ele [Resende], a fazer um teste [toxicológico] pra ver se eu sou drogado”.

Ao continuar as críticas, afirmando que Geraldo não teria superado o fato de ter perdido as eleições para a mãe dele na cidade, Délia Razuk, Neno finalizou: “Geraldo está caduco e é um mentiroso”.

Do mesmo partido, Lia Nogueira também declarou se sentir ofendida com a declaração de que o douradense ‘não sabe votar’. “É meu colega de partido, mas foi uma declaração infeliz do deputado em dizer que o eleitor de Dourados tem dedo podre para votar. “Tem gente que acha que é Deus, o deputado federal Geraldo Resende tem a certeza”, arrematou Lia durante a sessão.