As eleições dos Conselhos Tutelares acontecem neste domingo (1º) em e em todo o país. Para isso, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) separou alguns itens de segurança que podem ser verificados pela população.

O sistema de transparência tem as mesmas ferramentas usadas no pleito do ano passado. Isso porque serão usadas urnas com modelos 2020, 2015, 2013, 2011, 2010 e 2009. Conforme o TSE, estes equipamentos foram utilizados nas Eleições de 2022.

No entanto, as urnas passaram por adaptação. Ao contrário do pleito para cargos do executivo e legislativo, quando se pode escolher apenas um candidato, os cidadãos podem votar em mais de uma candidatura.

A modificação ocorre porque em algumas localidades é possível votar em até cinco candidatos. Apesar do apoio regulamentado pela Resolução nº 23.719/23, a organização e fiscalização da votação para eleger não é responsabilidade da Justiça Eleitoral.

Confira os itens de segurança:

  • Assinatura Digital – um mecanismo de criptografia usado para autenticar documentos eletrônicos, que serve para proteger dados e identificar a autoridade responsável pela informação.
  • RDV (Registro Digital do Voto) – uma tabela digital que armazena os votos digitados na urna, de forma embaralhada, para não ser possível identificar em quem determinada eleitora ou eleitor votou.
  • Impressão da zerésima – relatório emitido pelo equipamento, antes do início da votação, que comprova que a urna “está zerada”, ou seja, não contém, previamente, qualquer voto dado a uma candidata ou candidato.
  • Boletim de Urna (BU) – documento impresso no encerramento da eleição, que a quantidade de votos recebidos pelas candidaturas que concorreram aos Conselhos Tutelares.