O candidato a vice-governador de , Abílio Vaneli, da Federação Brasil da Esperança, esteve no Jornal Midiamax para a série de entrevistas com os companheiros de chapa majoritária dos oito candidatos ao Governo do Estado. Vaneli concorre com Giselle Marques, do PT.

Durante a entrevista, o candidato adiantou que o projeto do PT é ‘dar prioridade à prioridade do povo'. Temas como saúde, moradia, cultura, educação, Rota Bioceânica, industrialização, infraestrutura, conflitos em áreas rurais e desenvolvimento foram abordados durante o encontro.

Abílio é advogado, como Giselle Marques, e foi presidente do Diretório Municipal do PT de entre 2008 e 2013. É o atual presidente do partido em Coxim e advogado militante nas áreas cível, criminal e previdenciária.

Vanelli foi secretário-geral da 9ª Subseção da OAB de Coxim de 2012 a 2015 e também presidente da Comissão de Constituição, Legislação e Redação da Câmara Municipal da cidade entre 2017 e 2018 e 2019 e 2020. Abílio foi reeleito vereador em 2020.

Abílio Vaneli
Foto: Marcos Ermínio, Jornal Midiamax

Abílio destaca planos para educação em MS

No Midiamax, o candidato ressaltou que uma das principais promessas do governo do PT é o investimento na educação. Abílio contou que se acaso ele e a candidata Giselle forem eleitos, pretendem dar prioridade aos profissionais de educação e a programas voltados para a área.

“Em Mato Grosso do Sul temos um problema que é a falta de concurso público, muitos professores contratados. O atual governo durante seis anos massacrou a categoria, não deu reajuste, cortou 30% do salário dos professores contratados. Fez uma reforma previdenciária mais agressiva que a reforma do e não deu valorização para a categoria. O primeiro passo para a educação é valorizar os profissionais da educação”.

A cultura é investimento imprescindível em qualquer contexto de cidadania. Pensando nisso, o candidato também disse que o PT tem projetos voltados para o setor que apesar de garantia constitucional, o direito de acesso à cultura na sociedade brasileira não é para todos.

“A cultura é uma questão de prioridade. Quem criou o FIC (Fundo de Investimento à Cultura) foi o PT. Quem criou programas culturais existentes nesse estado foi o governo do PT. Queremos fortalecer a cultura de Mato Grosso do Sul de verdade, que hoje em dia é elitizada. Queremos democratizar o acesso à Cultura”.

Confira a entrevista na íntegra: