Os eleitores de Mato Grosso do Sul definiram, neste domingo (2), oito deputados federais para o Congresso Nacional. Loester Trutis (PL) e Fábio Trad (PSD), não conseguiram se reeleger e voltam para casa em dezembro de 2022.

Raquelle Lisboa Alves (PL), que foi estagiária e agora é esposa do então deputado Trutis, tentou uma vaga na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul nestas eleições, mas a candidata do Partido Liberal também não entrou na Casa de Leis.

Fábio Trad, deputado federal pelo Mato Grosso do Sul desde 2011, neste domingo não conseguiu se reeleger. Aliás, todos os ‘Trads’ que concorreram nas eleições de 2022 não se elegeram ou se reelegeram nos cargos políticos que disputaram.

As deputadas federais Rose Modesto (União Brasil) e Tereza Cristina (PP), não concorreram à reeleição da Câmara Federal. Ambas disputaram outros cargos políticos, sendo uma candidata ao Governo de Mato Grosso do Sul e outra ao Senado também por MS.

A ex-ministra, deputada Federal e agora eleita senadora de Mato Grosso do Sul, Tereza Cristina, conquistou uma cadeira no Senado com 60,85% dos votos e foi a candidata ao cargo mais bem votada da história de MS.

Rose Modesto deixou de tentar a reeleição como deputada federal por concorrer ao Governo de Mato Grosso do Sul. A então candidata ficou em quarto lugar na disputa, com 178.093 votos, o que totalizou 12,42%.

Deputados Federais eleitos

Os oito candidatos eleitos e reeleitos em Mato Grosso do Sul foram Marcos Pollon (PL), com 103.111 votos. O segundo mais bem colocado foi o tucano Beto Pereira, com 97.872 votos. O Dr. Geraldo Resende, também do PSDB e famoso por ser Secretário Estadual de Saúde durante a pandemia da Covid-19, ocupou o quarto lugar, com 96.519 votos.

O candidato reeleito ao cargo Vander Loubet (PT) teve 76.571 votos. A vereadora de Campo Grande e agora eleita candidata federal Camila Jara, também pelo Partido dos Trabalhadores, teve 56.552 votos.

Dagoberto Nogueira do PSDB teve 48.217 votos. O sétimo candidato mais votado foi o Dr. Luiz Ovando (PP) que teve 45.491 votos. Rodolfo Nogueira, do PL, conhecido o ‘Gordinho do Bolsonaro’, também conseguiu entrar na Câmara Federal, com 41.773 votos.