Se eleita, Tereza Cristina descarta deixar Senado para reassumir eventual Ministério

| 05/08/2022
- 10:43
Tereza Cristina Convenção PP
A deputada federal e pré-candidata ao Senado pelo PP, Tereza Cristina | Foto: Lucas Mamédio | Jornal Midiamax

Deputada federal e pré-candidata ao Senado pelo Partido Progressistas (PP), Tereza Cristina descartou nesta sexta-feira (5) a possibilidade de reassumir posto de ministra caso seja eleita. A foi feita durante a convenção partidária que oficializou, durante a manhã, o nome da deputada como candidata ao pela legenda. O evento também determinou a lista de nomes do Progressistas que devem figurar nas urnas, como candidatos a deputados estadual e federal.

Ao Jornal Midiamax, a parlamentar afirmou que pretende dar continuidade ao trabalho por Mato Grosso do Sul que iniciou durante os quase quatro anos como ministra da atual gestão e descartou aceitar um eventual convite a Ministério. Em 2018, vale lembrar, ela foi eleita deputada federal, então pelo DEM (atual União Brasil) e deixou o cargo para assumir o Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento)

"Se eleita, vou trabalhar por Mato Grosso do Sul em Brasília, como continuidade do que já estava fazendo no Mapa, mas, desta vez, por meio da atividade parlamentar, apresentando projetos. Não há chance nenhuma de deixar o Senado e reassumir um ministério, não deixaria e não trairia o povo de MS assumindo esse cargo".

Durante a convenção, que firmou apoio do PP ao PSDB, cujo pré-candidato é Eduardo Riedel, Tereza Cristina também comentou que o apoio vem em razão dos projetos defendidos pelo candidato tucano. Vale lembrar que a ex-ministra havia sido secretária de Estado de Desenvolvimento Agrário e Produção no MS, na gestão de André Puccinelli (MDB), também na disputa pela Governadoria.

"Não vejo que o PP seguirá apoiando um candidato em detrimento do outro, mas sim os projetos. O apoio do PP a Riedel ocorre porque acreditamos que os projetos apresentados contribuem da melhor forma com o que almejamos para Mato Grosso do Sul", pontuou.

Suplentes, vice, apoios e representantes

A convenção desta manhã também homologou o nome de Tenente Portela (PL) como 1º suplente ao Senado na chapa de Tereza Cristina. Já o nome do segundo suplente, todavia, não foi anunciado e só deve se tornar conhecido após o término das convenções, conforme relatou a pré-candidata.

Tereza também comentou que, além do apoio a Riedel (PSDB), também ficará a cargo do PP definir o nome do candidato a vice-governador. O nome, porém, ainda estaria em definição.

Outra definição durante o evento foi o nome do tesoureiro do PP, Marco Aurélio Santullo, como representante da legenda junto ao TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de MS). Santullo havia deixado cargo de secretário especial na Casa Civil do Governo do MS para concorrer às eleições desse ano.

Na ocasião, Santullo havia confirmado que ficaria à disposição da legenda como pré-candidato a deputado, federal ou estadual. Contudo, a lista de pré-candidatos apresentada nesta sexta-feira não contava com o nome do ex-assessor do Governo.

Veja também

Mesmo com voto facultativo, há 87,4 mil eleitoras com mais de 100 anos

Últimas notícias