Simone Tebet rebate críticas à CPI da Covid e chama Aras de ‘covarde e desonesto’

Simone apontou que Procuradoria-Geral não realizou trabalho após entrega do relatório da CPI
| 17/02/2022
- 22:16
Senadores cobraram providências sobre o relatório
Senadores cobraram providências sobre o relatório, que pede indiciamento de 80 pessoas. - Foto: Reprodução | Senado.

O procurador-geral da república, Augusto Aras, foi chamado de ‘desonesto e covarde’ pela senadora (MDB) após fazer críticas à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid. Na Comissão de Direitos Humanos, a candidata à presidência disse que “o procurador-geral da república está sendo de uma desonestidade intelectual com Senado Federal”.

Participava da reunião o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres. Na Comissão, Simone questionou: “Como é que ele pode dizer que a CPI não cumpriu o seu papel, que na sua conclusão não juntou documentos?”.

Segundo a senadora, os parlamentares não são delegados de polícia. Por isso justificou que “não cabia e não cabe, a uma comissão parlamentar de inquérito fazer o papel e o trabalho que é da Procuradoria-Geral, que é juntar as provas”.

Ainda rebatendo as críticas feitas pelo procurador-geral, a candidata ao disse que a CPI levantou todos os dados e documentos em seis meses. “Como é que em 120 dias, 110 ou 115 [ele] não fez?”, questionou sobre o indiciamento de 80 nomes indicados pelo relatório final da Comissão.

“Não fez por inércia, não fez por omissão, não fez por parcialidade, porque ele que representa o órgão máximo de fiscalização e controle desse país que é o Ministério Público”, continuou. A senadora afirmou que Aras “esquece o papel a sua atribuição e vai ser um mero servo do presidente da república”.

Segundo Simone, é preciso convocar o procurador-geral para esclarecimentos. “Se não estivermos satisfeitos, porque não, pedir o impeachment para o procurador-geral da república? Como ele apresentou na semana passada ao senador Randolfe em uma reunião”, finalizou.

Veja também

Vereadores votaram parecer durante a sessão extraordinária realizada nesta terça-feira (05)

Últimas notícias