Barbosinha e Zé Teixeira descartam ida ao PP

Resistência na filiação de Barbosinha e Teixeira é causada por problemática regional
| 21/02/2022
- 19:19
Zé Teixeira e Barbosinha são apoiadores da ministra Tereza Cristina
Zé Teixeira e Barbosinha são apoiadores da ministra Tereza Cristina, mas não devem acompanhar migração de legenda. - Foto: Reprodução.

Após a decisão da executiva nacional do PP nomear a Ministra de Agricultura Tereza Cristina como presidente do diretório estadual, alguns dos seguidores políticos em encontraram dificuldades no trajeto de acompanhá-la passo a passo na campanha deste ano. O anúncio veio cortando dois nomes do DEM e com grande representatividade em Dourados, como dos deputados estaduais Zé Teixeira, Barbosinha e possivelmente, Renato Câmara. 

A ida ao PP é mais que esperada e já trouxe atritos políticos antes mesmo da oficialização, no caso dos parlamentares com o atual de Dourados, Alan Guedes (PP), que não é muito bem visto e anteriormente foi orientado pelos mesmos a deixar a presidência do diretório municipal do DEM por falta de bom comportamento. Procurado pelo jornal Midiamax, Zé Teixeira (DEM) explicou as questões que não o levam para PP e pontua que nem convite havia recebido.

"Eu só irei para um partido onde seja bem-vindo, eu tenho ética e não quero ser um problema para ninguém. Eu sou seguidor da Tereza Cristina, ainda não conversamos sobre isso, mas mesmo sendo apoiador dela não irei para o PP. Independente do que tenha acontecido, os atritos políticos com o atual Prefeito Alan Guedes me coloca em condição de favor, então respeito a decisão da executiva nacional e como não fui convidado, reitero e falo que eles podem ficar tranquilos, pois não irei bater na porta deles", ressaltou o deputado. 

O deputado Barbosinha disse que o alinhamento com a ministra Tereza Cristina persiste, “entretanto questões locais precisam ser avaliadas antes de uma decisão de acompanhá-la ou migrar para outro partido”.

Ao Jornal Midiamax, ele disse que não cogita ir para o PP. “Desde o início pontuei minhas dificuldades”, ressaltou. Agora conversa com outras legendas para migrar para um novo partido, no entanto, prefere não revelar as negociações.

Questionado sobre análise da ministra sobre os apoiadores políticos dela ao mudar de partido, Barbosinha acredita que “ela deve ter feito todas as avaliações antes de tomar essa decisão”.

Resistência

Segundo o deputado Evander Vendramini (PP), presidente estadual do partido, não foi feito convite aos parlamentares. Vendramini contou à reportagem que existe uma resistência de filiação, de ambos os lados. “Eles não foram convidados, pois têm problema regional que é Dourados. Ali é reduto do Alan Guedes”.

Barbosinha enfrentou Guedes nas urnas em 2020 e perdeu a eleição municipal. Ele tem feito duras críticas à administração do prefeito, nas sessões da Assembleia Legislativa.

Ainda segundo Vendramini, há também dificuldade na filiação dos dois no PP devido à chapa estadual. “Fica chapa pesada”, disse.

O PP tem dois deputados estaduais. Além de Vendramini, o deputado Gerson Claro.

Veja também

O deputado lamentou a morte de Vitor e afirmou que o diálogo deve prevalecer

Últimas notícias