Política

Senadora de MS defende veto presidencial às alterações na Lei de Improbidade

Proposta foi modificada na Câmara e no Senado, mas ainda precisa da sanção do presidente da República

Marcelo Nantes Publicado em 07/10/2021, às 16h06

Senadora Soraya Thronicke (PSL) já faz campanha por veto presidencial às alterações na Lei de Improbidade Administrativa
Senadora Soraya Thronicke (PSL) já faz campanha por veto presidencial às alterações na Lei de Improbidade Administrativa - Divulgação Senado

As alterações aprovadas pelo Senado e pela Câmara dos Deputados na Lei de Improbidade Administrativa precisam da concordância da Presidência da República.

Contrária às modificações, a senadora Soraya Thronicke (PSL) já está defendendo o veto de Jair Bolsonaro (sem partido). “Votei contra no Senado e me mantenho absolutamente fiel à bandeira do combate à corrupção. Só nos resta o veto!”, publicou numa rede social.

A maior alteração do texto é a exigência de dolo (intenção) para que agentes públicos sejam responsabilizados. Danos causados por imprudência, imperícia ou negligência não poderão ser configurados como improbidade.

O texto finalizado ainda inclui a súmula do STF (Supremo Tribunal Federal) que proíbe contratação de parentes no rol das condutas consideradas improbidade, mas estabelece que não se configurará improbidade a mera nomeação ou indicação política por parte dos detentores de mandatos eletivos.

Homenagem

Mas entre um protesto e outro, Soraya parabenizou pessoalmente o campeão paralímpico de canoagem em Tóquio, o atleta sul-mato-grossense Fernando Rufino. Ao lado do medalhista, ela esteve com a ministra Damares Alves e a prefeita de Naviraí, Rhaiza Matos.

Jornal Midiamax