Política

Novo prefeito de Paranhos quer construir hospital e fazer manutenção de estradas

Posse de Donizete Viaro (MDB) e do vice Cléber Valiente será neste sábado (23)

Marcelo Nantes Publicado em 22/10/2021, às 16h04

Donizete Viaro (MDB), prefeito eleito de Paranhos, toma posse neste sábado (23)
Donizete Viaro (MDB), prefeito eleito de Paranhos, toma posse neste sábado (23) - Arquivo pessoal

O novo prefeito de Paranhos, Donizete Viaro (MDB), e o vice-prefeito, Cleber Valiente (MDB), tomam posse para concluir o restante do mandato até dezembro de 2024 na manhã deste sábado (23). Ambos foram eleitos dia 3 de outubro, na eleição suplementar de 2020. A partir de segunda (25), a atuação na chefia do Poder Executivo local será diferente à exercida nos dez primeiros meses do ano.

“Vejo que agora vai ser possível abrir o leque de trabalho. Temos condições de fazer financiamento, o que a lei não permitia enquanto atuei como interino. Até o fim do ano vamos organizar a casa”, declarou o prefeito. Ele espera ajuda do governo estadual e está com reunião agendada com o secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel, na próxima terça-feira (26).

“Precisamos adquirir um patrol, uma pá-carregadeira e um caminhão caçamba para fazer a manutenção de 390 quilômetros de estradas de terra vicinais. O município conta com seis aldeias e cinco assentamentos”, esclarece o prefeito eleito. 

Viaro também tem planos para a zona urbana: pavimentar vias, iniciar um planejamento para aquisição de painéis solares que produzem eletricidade (tecnologia chamada fotovoltaica). Segundo ele, a conta de energia elétrica do município está em torno de R$ 100 mil reais mensais.

O orçamento da cidade em 2021 foi de R$ 4 milhões. O município conta com sete escolas nas aldeias e seis na cidade (uma é estadual). Outra providência nos planos do novo prefeito é a construção de um hospital. Atualmente, a população conta com o hospital público Nossa Senhora Aparecida, além de dois postos de saúde.  

Paranho conquistou a emancipação polícia em janeiro de 1989, possui cerca de 15 mil habitantes e está a 462 quilômetros de Campo Grande.

Sem apoio garantido na Câmara Municipal

Donizete Viaro avalia a atual relação com a Câmara Municipal como “trânquila”. Sobre como essa relação permanecerá a partir de segunda-feira (25), quando os vereadores vão eleger o novo presidente, acredita que não mudará. 

“A gente vem trabalhando junto, não acho que vai mudar muita coisa”. Ele não tem candidato e não demonstra apreensão com o resultado da eleição. “Com certeza vamos ter a maioria. Minha preferência é que seja alguém do partido (MDB)”, afirmou.

Dos nove vereadores, três são do MDB, três do PSDB, e as três cadeiras restantes com PTB, PSB e PDT. O atual presidente, vereador Hélio Ramão Acosta (PSDB), confirmou ao Midiamax que não pretende se candidatar à reeleição.

História

Viaro era presidente da Câmara e vinha atuando como prefeito interino após inelegibilidade de Heliomar Klabunde (MDB), que havia vencido as eleições municipais em 2020 sub judice, mas foi impedido de assumir pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Klabunde já foi prefeito do município, mas o TCU (Tribunal de Contas da União) reprovou a prestação de contas relacionadas à execução de um convênio com o Governo Federal. Por isso, caiu na Lei da Inelegibilidade e teve o registro barrado pelo TRE-MS.

Jornal Midiamax