Política

Durante sessão, deputados se dividem sobre serviços da Energisa após temporal em MS

Moradores de MS ficaram mais de 70h sem energia elétrica após temporal

Dândara Genelhú Publicado em 19/10/2021, às 11h49

Deputados pedem providências e medidas de prevenção para desastres naturais.
Deputados pedem providências e medidas de prevenção para desastres naturais. - Foto: Reprodução.

Na sessão ordinária desta terça-feira (19), deputados estaduais de Mato Grosso do Sul se dividiram sobre os serviços prestados pela Energisa após o temporal que atingiu o Estado. O debate foi levantado durante as explicações pessoais na Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul).

Moradores de MS ficaram até 72h sem energia elétrica após a tempestade.O primeiro inscrito, deputado Zé Teixeira (DEM, que se fundiu com PSL para criação do União Brasil), aproveitou para demonstrar o ponto de vista sobre os serviços prestados pela Energisa. “Tenho conversado muito com o presidente da Energisa, doutor Marcelo”, disse ele.

Assim, afirmou que a empresa trouxe para MS equipes de outros estados, “para agilizar o máximo que ela pode para poder recuperar esse estrago”. Então, o deputado lembrou da época em que a empresa assumiu a distribuição de energia no Estado.

“Essa empresa assumiu uma empresa totalmente sucateada, sem nenhuma estrutura”, destacou. O deputado disse que apesar da tempestade, tem “recebido um atendimento muito especial da concessionária, através do senhor Marcelo, para minimizar os estragos”. Além disso, afirmou que recebeu ligações e pedidos para auxílio nos reparos que devem ser feitos pela Energisa.

O deputado Barbosinha (DEM, que se fundiu com PSL para criação do União Brasil) concordou com o companheiro de legenda. Ele afirmou que é necessária uma readequação urbana para evitar os prejuízos, “mas neste momento tivemos uma catástrofe sem precedentes”.

Então, destacou que esses foram “fenômenos que ocorreram da natureza e nesse aspecto tenho que dizer que o doutor Marcelo tem sido muito solícito”. A deputada Mara Caseiro (PSDB) afirmou que esta é uma “tragédia que aconteceu em todo o Estado, e é uma situação atípica”.

“Então eu tenho certeza que nenhuma empresa estaria preparada para um momento desses”, se posicionou. Assim, destacou que “não podemos confundir as coisas, mas a Energisa tem se esforçado nesse momento para atender, nas possibilidades, e restabelecer a energia”. Por fim, justificou que existem procedimentos que são mais trabalhosos para restituir.

Atrasos na manutenção

Considerando a tempestade que atingiu o Estado na quinta (14) e sexta-feira (15), o deputado Felipe Orro (PSDB) afirmou que “essa questão que foi um fenômeno da natureza, todos nós sabemos. Mas o que também sabemos é que a empresa não vem dando manutenção”, disse.

Assim, apontou que “depois que a Energisa assumiu, ela diminuiu metade dos funcionários que davam manutenção”. Zé Teixeira rebateu, dizendo que a empresa trouxe trabalhadores de outros estados para suprir as demandas.

Por fim, o deputado Pedro Kemp (PT) afirmou que “algumas estão sem energia até agora”. Assim, destacou que é preciso um “plano de prevenção, muitas árvores estão podres, já para cair”, além de apontar a recuperação da rede como solução.
“Quando aconteceu um desastre como esse, ela tem que dar uma resposta imediata para a população”, apontou. O parlamentar acredita que a empresa precisa se estruturar com recursos humanos e maquinários.

E a última colocação dele foi sobre o ressarcimento aos consumidores, devido às horas sem energia. A mesma sugestão foi dada por outros parlamentares na última segunda-feira (18).

Jornal Midiamax