Política

Reinaldo tratará de parcerias público-privadas com secretário de Bolsonaro

As parcerias público-privadas serão tema de reunião do governador Reinaldo Azambuja com o secretário de Desestatização e Desinvestimento do Governo Jair Bolsonaro, Salim Mattar. O encontro será na próxima quarta-feira (10). A informação foi dada pelo governador nesta segunda-feira (08), durante solenidade de entrega da reforma da Escola Estadual Teotônio Vilela, no bairro Univer...

Danúbia Burema Publicado em 08/04/2019, às 18h05 - Atualizado às 18h13

Governador entrega reforma de escola feita com mão de obra de detentos. Foto. Daiany Albuquerque
Governador entrega reforma de escola feita com mão de obra de detentos. Foto. Daiany Albuquerque - Governador entrega reforma de escola feita com mão de obra de detentos. Foto. Daiany Albuquerque

As parcerias público-privadas serão tema de reunião do governador Reinaldo Azambuja com o secretário de Desestatização e Desinvestimento do Governo Jair Bolsonaro, Salim Mattar. O encontro será na próxima quarta-feira (10). A informação foi dada pelo governador nesta segunda-feira (08), durante solenidade de entrega da reforma da Escola Estadual Teotônio Vilela, no bairro Universitário II, em Campo Grande.

No evento, Reinaldo informou que as parcerias público-privadas que Mato Grosso do Sul tem em andamento serão discutidas com o Governo Federal. Ele não detalhou, entretanto, quais os projetos a serem tratados com a União. Pelo modelo de PPP (Parceria Público-Privada), é firmado contrato de prestação de obras ou serviços com duração de 5 a 35 anos entre o poder público e o setor privado, para investimentos em áreas estratégicas.

Entre os projetos de PPP existentes no Estado está o elaborado para acelerar a universalização da rede de saneamento, com investimentos privados na expansão, reabilitação e operação dos sistemas em 68 municípios atendidos pela Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul), elaborado no ano passado.Segundo o Governo do Estado, o prazo previsto de concessão em troca dos investimentos de R$ 1,3 bilhão é de 30 anos.

Nesta tarde, o governador também voltou a defender a importância das reformas propostas pelo Governo Federal. Segundo ele, a da Previdência precisa ser votada para que recursos para novos investimentos voltem a ser liberados e o Brasil possa crescer.

Jornal Midiamax