Política

Moro deve pousar 12h30 em Ponta Porã para agenda com presidente do Paraguai

A chegada do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro está prevista para 12h30 no aeroporto de Ponta Porã, nesta segunda-feira (3). O dia amanheceu com nevoeiro e aeroporto estava fechado para pouso e decolagem, mas o céu limpou ao longo da manhã e o aeroporto opera normalmente. Moro chega em Campo Grande no […]

Renata Volpe Publicado em 03/06/2019, às 10h51 - Atualizado às 10h54

Operação Nova Aliança vai reunir esforços com os governos brasileiro e paraguaio, no combate as drogas. (Foto: Porã News/ Divulgação)
Operação Nova Aliança vai reunir esforços com os governos brasileiro e paraguaio, no combate as drogas. (Foto: Porã News/ Divulgação) - Operação Nova Aliança vai reunir esforços com os governos brasileiro e paraguaio, no combate as drogas. (Foto: Porã News/ Divulgação)

A chegada do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro está prevista para 12h30 no aeroporto de Ponta Porã, nesta segunda-feira (3). O dia amanheceu com nevoeiro e aeroporto estava fechado para pouso e decolagem, mas o céu limpou ao longo da manhã e o aeroporto opera normalmente.

Moro chega em Campo Grande no fim da manhã desta segunda-feira (3), de acordo com assessoria de imprensa do Ministério e vai de avião até Ponta Porã.

Segundo o secretário de Segurança de Ponta Porã, Marcelino Nunes, o pouso está previsto para 12h30. “Ele desembarca e vai para o Paraguai, escoltado por policiais paraguaios. A Senad, local do encontro, fica a 15 quilômetros de Ponta Porã”, explicou.

A reunião acontece com o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benitez, Ministro Arnaldo Giuzzio e a ministra Patricia Bullrich da Argentina. O encontro acontece na Senad (Secretaria Nacional Anti-drogas) em Pedro Juan Caballero. Às 14h, está previsto coletiva de imprensa com as autoridades.

A reunião com o ministro e o governo paraguaio, é sobre a operação Nova Aliança, para reunir esforços do Paraguai e do Brasil na responsabilidade compartilhada contra a produção e tráfico de maconha na região, o que também aumenta o interesse da Argentina em cumprir as ações operacionais para a eliminação de cultivos ilícitos, uma fonte primária de financiamento criminal.

Jornal Midiamax