Política

Comissão Especial da Câmara terá 120 dias para concluir levantamentos sobre Energisa

Comissão Especial aberta nesta terça-feira (29) pela Câmara de Vereadores de Campo Grande terá prazo de 120 dias para realizar os levantamentos relacionados à Energisa. Com três vereadores à frente dos trabalhos, a comissão foi criada no lugar de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) por receio da Câmara de que esta última fosse derrubada judicialmente. […]

Danúbia Burema Publicado em 29/10/2019, às 15h02 - Atualizado em 19/07/2020, às 20h25

Vereadores na Câmara Municipal de Campo Grande. (Foto: Izaías Medeiros, CMCG, Arquivo).
Vereadores na Câmara Municipal de Campo Grande. (Foto: Izaías Medeiros, CMCG, Arquivo). - Vereadores na Câmara Municipal de Campo Grande. (Foto: Izaías Medeiros, CMCG, Arquivo).

Comissão Especial aberta nesta terça-feira (29) pela Câmara de Vereadores de Campo Grande terá prazo de 120 dias para realizar os levantamentos relacionados à Energisa. Com três vereadores à frente dos trabalhos, a comissão foi criada no lugar de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) por receio da Câmara de que esta última fosse derrubada judicialmente.

Segundo o presidente da Câmara, vereador João Rocha (PSDB), será feito levantamento de situações importantes que poderão depois ser encaminhadas a outras instâncias. A opção pela comissão foi feita “porque não é de competência da Câmara de Vereadores legislar sobre a questão da Energisa. Não é uma concessão municipal”, explicou.

Na sessão desta terça-feira, 13 vereadores assinaram pedido de abertura de CPI. Contudo, recomendação da Procuradoria da Câmara orientou a abertura de comissão especial para que a investigação não fosse derrubada judicialmente. “Nós não podemos legislar sobre esse tema sob pena de nulidade do trabalho”, reiterou o presidente.

Conduzirão os trabalhos na comissão especial o proponente, vereador Vinícius Siqueira (DEM), e os vereadores André Salineiro (PSDB) e Valdir Gomes (PP).

Jornal Midiamax