Política

Situação mais constrangedora desta legislatura, diz Rocha sobre taxa do lixo

Citou desgaste político

Jessica Benitez Publicado em 17/01/2018, às 14h37

None

Citou desgaste político

O presidente da Câmara Municipal, João Rocha (PSDB), após coletiva sobre a taxa do lixo na manhã desta quarta-feira (17), disse que o impasse envolvendo a cobrança é a situação mais constrangedora que a Casa de Leis passou nesta legislatura.

Prestes a iniciar o segundo ano do mandato, o Legislativo enfrenta, junto com o Executivo, problema gerado pela aplicação da lei que oficializou a taxa do lixo, aprovada no fim do ano passado. Ele explicou que, na teoria, o texto está correto, dentro da legalidade e constitucionalidade, porém, quando foi colado em prática, houve erro técnico que gerou cobranças com valores elevados.

“É a situação mais constrangedora, desgaste grande, desgaste político grande, foi sim. E verdadeiramente nenhum de nós esperava isso, nem o prefeito”, disse o tucano, após explicar que quando os técnicos da Prefeitura explicaram e mostraram com simulações a aplicabilidade da lei, tudo correu dentro do previsto.

Votação

O novo projeto ainda não chegou à Casa de Leis e não há previsão para isso, mas, segundo o presidente, os vereadores têm de estar preparados para sessão extraordinária a qualquer momento. Ele acredita que, se for o caso, não fará diferença em mandar agora ou daqui a 15 dias, desde que a medida esteja correta e sem riscos de novos erros.  Porém, se o Executivo enviar antes, a votação ocorrerá cerca de três dias depois.

“Amanhã ele (prefeito) já está aí, então ele pode chegar e pode falar ‘não me convenceram’ quero um estudo mais profundo, mas pode também mandar o projeto já”, explicou. O chefe do Executivo, Marquinhos Trad (PSD), está de férias desde o último dia 7 e retorna aos trabalhos nesta quinta-feira (18).

Punição

Situação mais constrangedora desta legislatura, diz Rocha sobre taxa do lixo

“A população já está pagando literalmente, todo mundo tem direito a ampla defesa, (o culpado) precisa se explicar, não sei se vai conseguir se explicar ou se prefeito vai aceitar a explicação. Punir só pra dar exemplo, mostrar sangue na boca e nos olhos, não sei se ele vai fazer isso”. 

Jornal Midiamax