Política

Entidades filantrópicas da Capital querem isenção da taxa do lixo

Representantes de instituições fizeram pedido a vereadores

Richelieu Pereira Publicado em 16/02/2018, às 15h16

None

Representantes de instituições fizeram pedido a vereadores

Representantes de entidades filantrópicas de Campo Grande se reuniram com vereadores, na quinta-feira (15), com solicitação para ficarem isentas do pagamento da taxa do lixo instituída neste ano pela Prefeitura. As instituições alegam que não possuem fins lucrativos e a taxa vai gerar dificuldades financeiras.

Hospital Evangélico, Hospital do Câncer, Hospital São Julião, Santa Casa, e APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Campo Grande) estavam representados em reunião com o presidente da Câmara, vereador João Rocha (PSDB), e membros da Comissão de Saúde, Loester Nunes (MDB), Enfermeiro Fritz (PSD) e Cida Amaral (Podemos), na Presidência do Legislativo.Entidades filantrópicas da Capital querem isenção da taxa do lixo

Segundo o presidente da Santa Casa de Campo Grande, Esacheu Nascimento, as entidades filantrópicas sem fins lucrativos não auferem lucros em suas atividades e a taxa vai gerar dificuldade à medida que onera as instituições. “Além disto, são poucas as instituições, o que não causará nenhuma perda significante ao município”, explicou.

No caso dos hospitais, uma despesa considerável com destinação de resíduos sólidos já é paga devido ao lixo hospitalar. Este tipo de resíduo não pode ser colocado no lixo comum por ser contaminante e obriga as instituições a investirem em empresas especializadas no ramo de incineração e destinação.

Os vereadores se comprometeram em analisar o caso e depois submeter aos colegas em busca de uma lei que apoie as instituições solicitantes. “Nós vamos analisar o fato com o carinho que merecem as instituições filantrópicas, afinal elas prestam um serviço imensurável à comunidade e merecem uma atenção especial”, disse João Rocha.

*Foto: Divulgação/Assessoria

Jornal Midiamax