Advogado de defesa do ex-governador André Puccinelli (MDB), Renê Siufi disse nesta quarta-feira (24) que aguarda a decisão do 4º recurso impetrado no STJ (Superior Tribunal de Justiça) para que o emedebista seja colocado em liberdade. Já André Puccinelli Júnior teve o pedido de liberdade negado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

O novo pedido de habeas corpus foi ajuizado pela defesa de Puccinelli no dia 28 de setembro. Relatora do pedido, a ministra Laurita Vaz negou liberdade no início de outubro.

Apesar da decisão da relatora, o julgamento do mérito do habeas corpus ainda deve ser julgado pela 6ª Turma, em data ainda a ser definida.

O ex-governador já teve outros três pedidos de liberdade negados. O primeiro deles, em caráter liminar, foi julgado pelo ministro Humberto Martins, durante o recesso do STJ, no dia 27 de julho.

Já o mérito do habeas corpus, que também incluía aos advogados André Puccinelli Júnior, filho do ex-governador, e João Paulo Calves, ficou a cargo da ministra Maria Thereza Assis Moura. A defesa também já teve recurso negado no TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) e aguada julgamento de habeas corpus no STF (Supremo Tribunal Federal).

Prisão

André, seu filho e João Paulo Calves foram presos pela Polícia Federal no dia 20 de julho, no âmbito da Operação Papiros de Lama, desdobramento da Operação Lama Asfáltica, que apura suposta lavagem de dinheiro por meio do Instituto Ícone, de propriedade de João Paulo Calves, apontado como ‘laranja’ de Puccinelli Júnior.

Puccinelli e o filho estão presos no Centro de Triagem Anísio de Lima, carceragem destinada a presos com ensino superior. João Paulo Calves está em cela especial no Presídio Militar de Campo Grande, prerrogativa garantida por lei por ele ser advogado. (Matéria alterada para acréscimo de informações)