Política

Marquinhos assina contrato para iniciar Reviva Centro nesta sexta-feira

Senador Pedro Chaves estará presente; ato será em Brasília

Midiamax Publicado em 12/05/2017, às 09h58

None

Senador Pedro Chaves estará presente; ato será em Brasília

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) cumpre agenda em Brasília nesta sexta-feira (12). Ele irá assinar contrato com o BID (Banco Internacional do Desenvolvimento) para iniciar Projeto Reviva Centro em Campo Grande.

O programa contempla US$ 56 milhões (R$ 183 milhões) de financiamento BID e US$ 56 milhões de contrapartida da prefeitura. A realização de todo o projeto do Reviva Centro vai levar cerca de 5 anos.

Agenda está marcada para às 11h, no Conjunto F, Lote 39, Setor Embaixada Norte, Quadra 802, Asa Norte, Brasília (DF). Também irão participar da solenidade, o secretário de Governo e Relações Exteriores Antônio Cézar Lacerda e a diretora-executiva de Planejamento e Gestão Estratégica Catiana Sabadin, além do senador por Mato Grosso do Sul Pedro Chaves (PSC), que intermediou a ação.Marquinhos assina contrato para iniciar Reviva Centro nesta sexta-feira

Na ocasião, o contrato de financiamento entre a Prefeitura de Campo Grande e o Banco Interamericano de Desenvolvimento será concretizado. O projeto prevê mudanças estruturais na área central da Capital, como embutimento da fiação, ampliação de calçadas, criações de áreas de lazer e reordenamento do trânsito no entorno da Rua 14 de Julho.

As ações visam promover a requalificação urbana, incentivando a ocupação dos terrenos e edificações, mediante a melhoria da infraestrutura e dos espaços públicos; da eficiência do sistema de transporte coletivo e da acessibilidade; fortalecendo a capacidade de planejamento e mobilidade urbana.

Os recursos serão investidos também na requalificação dos passeios públicos no entorno do Marcado Municipal, Horto Florestal, Morada dos Baís e o Camelódromo, integrando-os à Orla Ferroviária e a 14 de Julho.

O Reviva Centro engloba também um projeto piloto de habitação, que pode absorver R$ 40 milhões para um complexo multiuso, que envolve comercio, serviço e habitação de toda a região central. A ideia é construir de 350 a 400 unidades habitacionais, através de parcerias público-privadas.

Jornal Midiamax