Política

Ida de Lula para Ministério é dada como certa, mas delação adia anúncio

Informações extraoficiais dizem que ele será secretário de Governo

Jessica Benitez Publicado em 15/03/2016, às 22h07

None
lula.jpg

Informações extraoficiais dizem que ele será secretário de Governo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teria aceitado ocupar um Ministério no governo da atual chefe do Executivo Dilma Rousseff (PT) e, segundo bastidores de Brasília, irá substituir Ricardo Berzoini na Secretaria de Governo, porém com mais autonomia. O anúncio foi adiado por conta da homologação da delação premiada do senador Delcídio do Amaral nesta terça-feira (15). 

No Congresso a informação é de que nesta quarta-feira (16) os dois se reúnem para finalizar conversa e acertar os moldes do cargo. Desde a semana passada, quando o MPE-SP (Ministério Público Estadual de São Paulo) pediu a prisão de Lula, há informação de que ele seria nomeado ministro, assim teria foro privilegiado e 'se livraria' do cárcere. A solicitação está nas mãos do juiz Sérgio Moro.

O cargo a ser ofertado ficou entre Casa Civil ou Secretaria de Governo, já que a primeira opção teria, em tese, mais poder. Contudo, também inclui uma grande parte administrativa que o ex-presidente não gostaria de ter que lidar para poder se concentrar no rearranjo político do governo.

Com o petista no governo Federal, além do foro privilegiado, ele ficaria incumbido de unir a sigla de novo e recuperar apoio do PMDB, legenda com maior bancada no Congresso Nacional e que ocupa grande parte dos ministérios, além da vice-presidência com Michel Temer.

Embora seja criticada pela oposição, a manobra é comemorada por petistas, inclusive sul-mato-grossenses. No Whatsapp, por exemplo, mensagens de aprovação à atitude são compartilhadas. 

Jornal Midiamax