Política

Candidatos da Capital arrecadam R$ 1,9 milhão, mas gastam R$ 4 milhões

Gasto é de 106,54% acima das doações de campanha

Evelin Cáceres Publicado em 15/09/2016, às 16h46

None
tre.jpeg

Gasto é de 106,54% acima das doações de campanha

A segunda parcial na prestação de contas das eleições de 2016 revelou que os candidatos à Prefeitura de Campo Grande já gastaram 106,54% a mais do que receberam em doações. Os dados foram divulgados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) nesta quinta-feira (15). Juntos, eles arrecadaram R$ 1.947.186,01, mas gastaram R$ 4.021.820,42.

Na liderança das arrecadações, Rose Modesto declarou ter recebido R$ 1.348.666,16, sendo a maior doação de Janete Morais, que é membro do PTB e repassou R$ 405 mil à candidata, além de outras quantias de empresários e servidores do governo. Em despesas, Rose declarou ter gasto R$ 2.433.102,32 entre produtora e impressões. As mesmas quantias declaradas como pagas a funcionários de campanha são declaradas como doações à candidata.

Marquinhos Trad (PSD) registrou receitas de R$ 210 mil, sendo R$ 200 mil da direção estadual do partido e um cheque de R$ 10 mil de José Carlos Chinaglia. O candidato já gastou R$ 805.839,96 na campanha entre produtora, impressão e advogados.

Marcelo Bluma (PV) R$ 111 mil de receitas, sendo R$ 75 mil da direção nacional e R$ 36 mil do próprio candidato. Foram declarados R$ 34.118,31 em despesas com gráfica e repasse a candidatos a vereador.

O atual prefeito Alcides Bernal (PP) declarou R$ 87.019,85, sendo R$ 22 mil dele mesmo. O secretário de Administração Ricardo Ballock doou R$ 5 mil, em uma lista de receitas composta majoritariamente por servidores públicos comissionados, alguns que se licenciaram para campanha. Entre eles, os secretários Dirceu Peters, Elídio Pinheiro, Luidson Noleto, Odimar Marcon e outros assessores. Até o momento, Bernal declara gastos de R$ R$ 319.965,30.

Coronel David (PSC) declarou ter recebido R$ 82,5 mil, sendo R$ 35 mil dele mesmo e R$ 30 mil de Marcos Antonio David dos Santos. Foram gastos R$ 78.973,00 entre publicações e gravações.

Athayde Nery (PPS) declarou R$ 72.400,00 sendo R$ 50 mil da direção nacional e R$ 8,4 mil dele mesmo. As despesas do candidato somam R$ 159.877,79, entre repasses a candidatos a vereadores e gastos com gravações e impressões.

Alex do PT tem R$ 21,1 mil em receitas, sendo R$ 5 mil dele mesmo e outras doações de membros da campanha. Despesas somam R$ 182.268,00.

Pedrossian Filho (PMB) recebeu R$ 12.150,00, sendo R$ 5 mil do pai, Pedro Pedrossian e outros R$ 5 mil de Claudimeire Nogueira Vieira, além de declarar R$ 6.160 com despesas. Suél Ferranti (PSTU) recebeu R$ 1.350,0, sendo R$ 500,00 de assessora e R$ 350 dele mesmo.  Foram gastos até o momento R$ 1.253,04.

Adalton Garcia (PRTB) declarou R$ 1 mil, dinheiro que ele mesmo doou para a campanha. Gastos somam R$ 960 em posto de combustível e material impresso.

Arce (PCO), Aroldo Figueiró (PTN), Elizeu Amarilha (PSDC), Lauro Davi (PROS) e Rosana Santos (Psol) não declararam receitas ou despesas. 

Jornal Midiamax