Pedido está com desembargador

 

Os advogados dois oito presos na segunda fase da Operação Lama Asfáltica entraram com pedido de habeas corpus no TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª região) de São Paulo e aguardam a decisão, que chegou nesta quinta-feira (19) nas mãos do desembargador federal Nino Toldo.

O advogado Alberto Zacharias Toron, um dos principais criminalistas do país que já defendeu vários empreiteiros na Lava Jato, é responsável pelo pedido de João Amorim e da filha Ana Paula Amorim, e da secretária Elza Cristina.

O advogado José Valeriano de Souza Fontoura entrou com o pedido para o casal Edson e Rachel Giroto e o empresário Flávio Scrocchio, de Tanabi/SP.

A lista de crimes não é pequena e inclui: corrupção passiva, peculato, crimes da lei de licitações, crimes de lavagem ou ocultação de bens, direitos ou valores.

Advogados tentam no TRF, em São Paulo, habeas corpus para liberar Amorim e GirotoGiroto, Amorim, Flávio e Wilson Mariano seguem presos no Centro de Triagem do Complexo Penal de Campo Grande. Elza, Rachel, Ana Paula e Mariane estão em prisão domiciliar.

Operação

A segunda fase da operação Lama Asfáltica, Fazendas de Lama, bloqueou pouco mais de R$ 43 milhões em bens de 24 pessoas, apreendeu dois aviões, um do empreiteiro João Amorim e outro do empresário João Baird sob acusação de lavagem de dinheiro. A Polícia Federal apreendeu R$ 475 mil em espécie e mais 50 mil dólares durante investigação.

A ação, feita em conjunto com a Controladoria Geral da União e Receita Federal, cumpriu 28 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de prisão temporária, bem como 24 mandados de sequestro de bens dos investigados, dentre eles imóveis rurais e urbanos e contas bancárias.

A PF agora faz perícia nos documentos e materiais encontrados com os presos.