Política

PT nacional ‘lavas as mãos’ e diz que não deve solidariedade a Delcídio

Senador foi preso nesta quarta-feira

Jessica Benitez Publicado em 25/11/2015, às 22h36

None
ruipt.jpg

Senador foi preso nesta quarta-feira

O presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, divulgou nota alegando não ter obrigação de se solidarizar ao senador Delcídio do Amaral (PT) preso na manhã desta quarta-feira pela Polícia Federal acusado de obstruir investigação da Operação Lava Jato. Ele se disse perplexo diante da notícia e assegurou que a postura do sul-mato-grossense nada tem a ver com a sigla.

A postura da executiva causou furor no Senado Federal, que julga neste momento se o petista segue ou não detido. O presidente da Casa de leis considerou a postura como “covarde e oportunista” e a bancada do PT no Congresso informou que em momento algum foi consultada para tal pronunciamento. Delcídio é líder da presidente da República Dilma Rousseff (PT) no Senado e já prestou depoimento à Polícia Federal, ele permanece preso.

Leia a nota na íntegra:

“O presidente Nacional do PT, perplexo com os fatos que ensejaram a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de ordenar a prisão do Senador Delcídio do Amaral, tem a dizer o seguinte:

1- Nenhuma das tratativas atribuídas ao senador têm qualquer relação com sua atividade partidária, seja como parlamentar ou como simples filiado;

2- Por isso mesmo, o PT não se julga obrigado a qualquer gesto de solidariedade;

3- A presidência do PT estará convocando, em curto espaço de tempo, reunião da Comissão Executiva Nacional para adotar medidas que a direção partidária julgar cabíveis.

Brasília, 25 de novembro de 2015

Jornal Midiamax