Política

Prefeito reclama de ‘armadilhas’ que teriam sido deixadas por Puccinelli

Olarte culpa André pela queda de repasses do ICMS

Ludyney Moura Publicado em 01/04/2015, às 18h59

None
img_2717.jpg

Olarte culpa André pela queda de repasses do ICMS

O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), sugeriu haver aspecto político na decisão do governo do Estado, válida desde janeiro, de reduzir o percentual de repasse do ICMS ao município, fazendo críticas à administração de André Puccinelli (PMDB). O índice caiu de 25% para 21,4%, segundo o pepista, resultando em impacto negativo de R$ 65 milhões aos cofres municipais.

“Quem lá atrás armou armadilhas vai cair do cavalo, porque vamos conseguir pagar as contas de qualquer forma”, discursou Olarte durante entrega de equipamentos do Samu, na manhã desta quarta-feira (1º). “A quem interessa politicamente que nós não avancemos?”, continuou o prefeito, sem citar nominalmente o peemedebista, que governou Mato Grosso do Sul até o fim de dezembro: “não sei se foi intencional ou não”, concluiu.

Olarte disse que a Prefeitura acionou a Justiça para evitar a redução nos valores de repasses. Uma decisão positiva, no entanto, pode demorar a ocorrer, complementou o prefeito.

Situação parecida ocorreu com a atual gestão do Executivo estadual, continuou o pepista. Ele lembrou que “deram aumento (a diversas categorias de servidores) na gestão passada para a atual pagar a conta, talvez para que não consiga pagar”.

Ainda durante o discurso, Olarte também reclamou da queda no volume repassado pelo governo federal via FPM (Fundo de Participação dos Municípios). O decréscimo chegou a 25% em fevereiro e a previsão é que “março era a mesma coisa”.

Na expectativa do prefeito, a atual crise financeira no Poder Público não passará antes dos próximos “seis ou sete meses”. A parte boa, conclui Olarte, é a previsão da chegada de recursos do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento) Mobilidade Urbana, reafirmando o que disse no dia anterior em relação ao programa de obras.

Jornal Midiamax