Presidente da mesa precisou pedir calma aos colegas

Durante a oitiva do secretário de Administração, Wilson do Prado, na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) das Contas Públicas nesta segunda-feira (18), os vereadores Paulo Pedra (PDT) e Airton Saraiva (DEM) exaltaram os ânimos e tiveram uma discussão. Essa não é a primeira vez que os parlamentares se envolvem em discussão na Câmara.

O problema teve início quando o vereador Paulo Pedra começou a discorrer sobre a folha de pagamento da Prefeitura de Campo Grande e analisou dados anteriores. De acordo com Pedra, quando o ex-prefeito Alcides Bernal assumiu o Executivo, a Prefeitura estava com um déficit, mas quando ele foi cassado e o atual prefeito Gilmar Olarte assumiu a cidade com superávit. O vereador citou números de arrecadação de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e ISS (Imposto Sobre Serviço) e considerou a saúde financeira da cidade de forma positiva.Pedra apresentou dados do Tesouro Nacional. 

Após as considerações Pedra perguntou sobre a porcentagem de investimento que a prefeitura destina a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) e sobre uma suplementação que a Câmara teria enviado ao prefeito de R$ 70 milhões.

Nesse momento o Saraiva pediu a palavra e disse que as perguntas deveriam ser feitas ao secretário de Finanças e Pedra rebateu que não sabia qual era a preocupação do vereador e que o mesmo deveria estar dormindo, pois ele fez apenas três perguntas.

Já de forma exaltada, Saraiva ordenou que Pedra o respeitasse. O vereador rebateu avisando que ‘na CPI Saraiva não iria ganhar no grito’. Foi preciso que o presidente da mesa, Eduardo Romero (PT do B), pedisse calma aos colegas para continuar a oitiva.