Política

Contratos de Puccinelli sempre foram suspeitos, diz Zeca do PT

PF está desde cedo na casa do empreiteiro

Midiamax Publicado em 09/07/2015, às 13h09

None
zeca.jpg

PF está desde cedo na casa do empreiteiro

O ex-governador do Estado, o deputado estadual Zeca do PT, comentou a Operação Lama Asfáltica da Polícia Federal e da CGU (Controladoria-Geral da União), que cumprem 19 mandados de busca e apreensão nesta quinta-feira (9), na casa do empreiteiro João Amorim.

“O que sei é que o governo do André (Puccinelli, ex-governador do Estado), tinha contratos milionários com recursos federais”, disse. Zeca disse que ainda não tem conhecimento da operação de hoje, apenas pela imprensa, mas sempre ouviu reclamações de ‘que ninguém tinha acesso aos contratos, a não ser este próprio pessoal’.

O ex-governador protocolou em 2014 um pedido de investigações sobre possíveis direcionamentos de licitações para empresas ligadas ao empresário João Amorim. Na denúncia apresentada por Zeca, dos R$ 21 milhões mensais que a Prefeitura de Campo Grande gastaria com operações de tapa-buraco, mais de 60% deste montante seria destinado à Proteco Construções, de propriedade de João Amorim. Prática que vem desde a gestão de André Puccinelli (PMDB) à frente da Capital.

Desde cedo, policiais estão trancados com João Amorim na sua casa, no Bairro Vila Vendas, realizando busca de documentos. Segundo as primeiras informações, há viaturas também nas empresas Proteco Engenharia (de João Amorim), Hélio Corrêa Construções e Terraplanagem. Leitores enviaram uma foto e informaram que também há uma viatura na casa de Edson Giroto, ex-secretário de obras e atual diretor no Dnit. Giroto, entretanto, não atende as ligações da reportagem.

Jornal Midiamax