Em MS, o pré-candidato do PMDB, Nelsinho Trad, se declarou ‘anti-Dilma’ e fechou com Eduardo Campos (PSB). A divergência local é vista por Delcídio como resultado de uma “decisão soberana” do governador.

O governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), tem sido “cauteloso e leal” ao declarar apoio à reeleição da presidente da República, Dilma Rousseff (PT). A observação é do pré-candidato petista à Governadoria, senador Delcídio do Amaral.

Delcídio participou, na manhã desta segunda-feira (26), de reunião do PR na qual foi oficializado o apoio dos republicanos ao petista. Em Mato Grosso do Sul, ele terá como rival o peemedebista Nelsinho Trad, que por sua vez declara apoio a Eduardo Campos (PSB) para presidente.

A divergência local do PMDB é vista por Delcídio como resultado de uma “decisão soberana” de Puccinelli. O petista destaca que o governador não precisará subir no mesmo palanque que ele para apoiar Dilma.

Isto porque Puccinelli já disse que terá um “palanquinho” nestas eleições. Na avaliação de Delcídio, o governador está agradecido pela parceria da presidente petista durante sua gestão.

Delcídio destaca que Puccinelli recebeu de Dilma, entre outras coisas, a garantia de investimentos de R$ 50 milhões para a rota sul-fronteira, além de R$ 250 milhões à BR-359, nova rota transpantaneira.