Com adaptações, obra subiu valor oficialmente para R$ 100 milhões. Tanques de mergulho possibilitarão que visitantes nadem com peixes. Jacarés, sucuris, lontras e ariranhas também ocuparão os 25 tanques.

Com visitação gratuita até dezembro deste ano, o Aquário do Pantanal deve ser entregue até outubro deste ano, ao custo final próximo dos R$ 100 milhões, contra os iniciais R$ 84 milhões, segundo declarou o governador (PMDB) neste sábado (10), ao acompanhar a instalação da segunda placa de 54 metros quadrados e 22 toneladas do aquário central, que ficará no auditório.

Puccinelli garantiu que a visitação até o fim do ano será grátis. “Não sei se o próximo governador vai cobrar pela entrada, mas vou pedir a todos os candidatos que mantenham de graça ao menos para os alunos das escolas públicas que quiserem se organizar no fim de semana para virem”.

A preocupação, segundo o governador, é fazer uma obra grandiosa, mostrando ao mundo onde realmente fica o Pantanal. “As pessoas vão entender que a maior parte do Pantanal fica em Mato Grosso do Sul. Outros Estados têm ‘pantanaizinhos'. Aqui o temos por completo”.

Serão 25 tanques, alguns com possibilidade de mergulho. “O valor da obra subiu para que a gente aproveitasse e instalasse o sistema de mergulho aos visitantes. Foi ideia de um oceanólogo brasileiro que trabalhou na construção de um aquário em Portugal”.

Em junho, equipes da Embrapa Pantanal e da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) começam a capturar os 12 mil exemplares de répteis e mamíferos. Serão 269 espécies, entre peixes, jacarés, ariranhas, lontras e sucuris.

O Aquário deverá ser aberto a visitação em novembro, mas o Estado ainda não sabe como vai fazer para contratar guias bilíngues. “Detalhes sobre essa contratação vamos ver ainda com a Thie”, secretária de Administração.

Funcionários da empresa americana Reynolds trabalham nas obras do Aquário do Pantanal, no Parque das Nações Indígenas, instalando as primeiras placas acrílicas dos reservatórios gigantes do espaço.

Cerca de 400 funcionários trabalham nas obras atualmente. Estima-se  que 70% dos trabalhos estejam concluídos. A montagem do maior tanque do Aquário do Pantanal, o da biodiversidade do Rio Paraguai, deve começar em julho. Ele terá 1,6 milhão de litros e vai ser uma espécie de túnel com cúpula.

Mais que uma obra de visitação turística, o Aquário do Pantanal será um centro de pesquisas, ressalta o engenheiro da Agesul. Serão seis laboratórios no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Ictiofauna Pantaneira – nome oficial do espaço.

O Aquário já recebeu a visita de pesquisadores portugueses, italianos e espanhóis, além de parlamentares japoneses.