Política

Bernal diz que Alex foi incoerente, mas ainda continua líder

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), lamentou a atitude do vereador Alex do PT, líder dele na Câmara, que não assinou o requerimento da vereadora Luiza Ribeiro (PPS), necessário para abrir a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os problemas do Hospital do Câncer, a chamada “CPI da Saúde”. O voto do […]

Arquivo Publicado em 26/03/2013, às 17h58

None
1855574555.jpg

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), lamentou a atitude do vereador Alex do PT, líder dele na Câmara, que não assinou o requerimento da vereadora Luiza Ribeiro (PPS), necessário para abrir a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os problemas do Hospital do Câncer, a chamada “CPI da Saúde”. O voto do vereador foi definitivo, pois faltou uma assinatura para os vereadores conseguirem aprovar a CPI.

O prefeito disse que a atitude dos vereadores é lamentável. “A CPI era uma oportunidade de esclarecer denúncias graves”, justificou. Já com relação ao líder, ele pediu para ele ser favorável à comissão, o que não aconteceu.

“Pedi que ele assinasse e é lamentável que ele não tenha assinado. Acho uma atitude extremamente incoerente. Vou chamá-lo para conversar”, disse. “Foir incoerente porque em toda a campanha sempre defendemos a questão da saúde como prioridade e que iríamos esclarecer tudo o que fosse irregular”, acrescentou.

Questionado se estava pensando em trocar de líder, após desobediência de Alex do PT, o prefeito disse que ainda não é o caso. “Não estou levando por este caminho, de trocar de líder. Vou chamar toda a base para conversar. A Câmara ficou devendo para a população um esclarecimento”, concluiu.

A vereadora Luiza Ribeiro não conseguiu as dez assinaturas necessárias para emplacar a CPI. Ela teve a adesão dos vereadores: Zeca do PT, Ayrton do PT, Rose Modesto (PSDB), Cazuza (PP), Chocolate (PP), Eduardo Romero (PTdoB), Gilmar da Cruz (PRB) e Paulo Pedra (PDT).

Votaram contra a CPI os vereadores: Paulo Siufi (PMDB), Carla Stephanini (PMDB), Wanderlei Cabeludo (PMDB), Mário César (PMDB), Edil Albuquerque, João Rocha (PSDB), Elizeu Dionízio (PSL), Alceu Bueno (PSL), Chiquinho Telles (PSD), Coringa (PSD), Delei Pinheiro (PSD), Carlão (PSB), Edson Shimabukuro (PTB), Flávio César (PTdoB), Otávio Trad (PTdoB), Grazielle Machado (PR), Jamal (PR), Herculano Borges (PSC), Alex do PT e Airton Saraiva (DEM).

Jornal Midiamax