Três caminhões munck e dois guinchos fazem a retirada dos destroços dos veículos envolvidos em um acidente, na manhã desta quarta-feira (10), na BR-163, onde cinco pessoas morreram. Uma ultrapassagem indevida teria causado o acidente, conforme levantado pela Polícia Civil.

Os caminhões que fazem a retirada dos destroços têm a capacidade de levantar de 3 a 9 toneladas. Com isso, os dois lados da pista da rodovia ficaram interditados.

O acidente envolveu duas carretas, um caminhão pequeno e um carro de passeio. Casal que estava em um veículo Ônix indo para Santa Catarina, Daniel e Fernanda Lopes morreram no acidente.

Um capacete de motocicleta e uma estrutura retorcida foram encontrados em meio aos destroços do acidente que matou cinco pessoas, na manhã desta quarta-feira (10), na BR-163, próximo a Anhanduí.

Informações passadas para o Jornal Midiamax são de que o capacete e a estrutura estavam em meio aos destroços, mas não há como afirmar que no local existe um motociclista como vítima. Também foi encontrado um tamanduá na pista.

Com a descoberta do animal levantou-se a hipótese de que o caminhoneiro que estava com a carga de porcos teria tentado desviar do bicho, mas a perícia descartou a possibilidade depois de analisar que o tamanduá já estava em avançado estado de decomposição, e que deveria ter morrido há dois dias. 

O delegado Willian Rodrigues, da Depac Cepol, que atendeu ao acidente, disse que o motorista do caminhão dos porcos tentou a ultrapassagem e acabou batendo nos outros veículos que vinham no sentido contrário. Ainda de acordo com o delegado, mais vítimas podem ser identificadas.

“Trabalho que vai demorar horas devido à gravidade do acidente”, disse o delegado, que explicou que ainda espera pela retirada da parte da carga da rodovia para que toda a dinâmica do acidente seja concluída. 

A carga de porcos seria de 210 animais, sendo que a maioria morreu no acidente. Ainda não há a identificação das outras vítimas. O casal do carro de passeio foi identificado inicialmente como Daniel e Fernanda Lopes.