Amigos e familiares do casal Fernanda Lopes Ritter e Daniel Azambuja Alves, que faleceu após grave acidente na madrugada de quarta-feira (10), na BR-163, em Campo Grande, participam do velório nesta manhã (11).

(Redes Sociais)

Com a tristeza no olhar em meio às lágrimas, amigos e familiares não quiseram falar com a imprensa. 

O momento delicado é marcado por um clima forte de pesar. Algumas pessoas se limitaram em dizer que os dois eram bastante queridos e que o que ocorreu foi muito trágico.

Os caixões de Fernanda e Daniel ficaram lado a lado no Cemitério Jardim das Palmeiras.

Nas redes sociais, conhecidos os descreveram como divertidos. O casal havia saído cedo de Campo Grande e pararia em Sidrolândia para encontrar um casal de amigos e, então, seguiriam para as praias de Santa Catarina.

Fernanda Lopes trabalhava em uma lotérica em Campo Grande e Daniel, em um posto de combustíveis, como frentista.

No mesmo acidente, perderam a vida José Lucas Verus de Albuquerque, Jefferson Brunetto, Ednaldo Ramos dos Santos e Ezequiel Nordt.

(Foto: Nathalia Alcântara, Midiamax)

Acidente

O acidente aconteceu por volta das 5 horas da manhã desta quarta-feira (10), e envolveu duas carretas, um caminhão baú e um carro de passeio

Conforme boletim de ocorrência, a carreta de suínos era ocupada por José Lucas e Jefferson, enquanto a carreta que transportava milho era conduzida por Ezequiel. No caminhão baú estava Ednaldo e, no carro, um Ônix, o casal Fernanda e Daniel.

Todas as vítimas morreram no local e a polícia suspeita que a carreta de porcos – que trafegava sentido Anhanduí a Campo Grande –, teria invadido a pista contrária e atingido os demais veículos. 

O acidente mobilizou equipes da PRF (Polícia Rodoviária Federal), equipes da CCR MSVia, Polícia Civil e Perícia Científica.

Uma das carretas que se envolveu no acidente acabou tombando a uma altura de seis metros, e segundo informações passadas ao Midiamax, a carga espalhada dificultou a análise da dinâmica do acidente. As cargas das carretas já foram retiradas pelas empresas.

Alguns dos porcos ficaram presos nas ferragens e outros morreram com o impacto da colisão. Por isso, eles serão eutanasiados.

Ainda no início da tarde desta quarta (10), meia pista da rodovia foi liberada após 7 horas e meia de congestionamento de pelo menos 10 quilômetros com 15 mil veículos. A pista foi liberada no sistema ‘Pare e Siga’.

br-163
(Nathalia Alcântara, Jornal Midiamax)