Os 210 porcos transportados na carreta que causou acidente e deixou seis mortos na BR-163, próximo a Anhanduí nesta quarta-feira (10), foram eutanasiados nesta tarde. 

O condutor da carreta tentou uma ultrapassagem indevida, mas, colidiu contra outra carreta, um caminhão pequeno e um carro de passeio, Ônix.

Por causa do acidente, alguns animais ficaram presos às ferragens e outros morreram com o impacto da colisão. No final da manhã, uma equipe da empresa de alimentos responsável pelo transporte dos animais chegou ao local para acompanhar a situação.

Já no início da tarde também chegaram, para verificar o trabalho, um supervisor, funcionários e o médico veterinário, responsável técnico da empresa, responsável por verificar o procedimento de eutanásia dos suínos. 

O procedimento é uma normativa do CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária), sendo uma medida padrão e sanitária nesses casos. O Jornal Midiamax tentou contato com a empresa responsável, porém, funcionários afirmaram que só vão se pronunciar oficialmente mediante seus representantes nacionais. 

Segundo informações apuradas pela equipe do Jornal Midiamax, foi aplicado um tipo de descarga elétrica nos porcos, fazendo com que eles morram de maneira rápida e indolor. Na sequência, a equipe da empresa deve recolher os cadáveres para que sejam enterrados.

Congestionamento na rodovia

Meia pista da rodovia foi liberada no início desta tarde após 7 horas e meia de congestionamento de pelo menos 10 quilômetros com 15 mil veículos. A pista foi liberada no sistema ‘Pare e Siga’.

A PRF (Polícia Rodoviária Federal), equipes da CCR MSVia, Polícia Civil e Perícia Científica estão no local realizando os levantamentos.

Casal que morreu tinha viagem planejada havia 1 mês

Entre os mortos está o casal Fernanda Lopes e Daniel, que ocupavam um carro de passeio, um veículo Ônix de cor preta.

Elvis Ajala, de 42 anos, cunhado de Fernanda, disse ao Jornal Midiamax que todos estavam a caminho da praia, e que Fernanda e o marido iriam acompanhá-los, ele e a mulher, que não conheciam a praia. Ainda segundo ele, a viagem foi planejada havia 1 mês.

O ponto de encontro entre os casais seria um posto de combustível em Anhanduí. Elvis falou que saiu de Sidrolândia e ficou na espera e quando Fernanda e o marido não chegaram ficou sem entender o que estava ocorrendo. Assim, ele pegou o carro e voltou na rodovia quando viu o acidente, “uma fatalidade”. 

Eles iriam passar sete dias em Itapajé, Santa Catarina. Uma das carretas que se envolveu no acidente acabou tombando a uma altura de seis metros, e segundo informações passadas ao Midiamax, a carga espalhada dificultou a análise da dinâmica do acidente.

Um policial chegou a parar um outro caminhão alto que estava na estrada para subir no veículo e conseguir ver uma das carretas tombadas e um carro.

Casal que ocupava Ônix e que morreu no acidente. (Reprodução, Redes Sociais)